Estudantes e professores da Ufac e Ifac de Cruzeiro do Sul protestam contra os cortes na Educação

O Brasil inteiro está se manisfetando contra os cortes da Educação e em Cruzeiro do Sul não foi diferente. Estudantes e professores saíram às ruas nesta quarta-feira, 15, para protestar contra a decisão do governo de reduzir em 30% o repasse feito às universidades federais.

Os estudantes e professores se reuniram no campus da Universidade Federal do Acre em Cruzeiro do Sul com cartazes, escritos dizeres de ordem e respeito à educação.

“Esse corte impacta o funcionamento tanto da rede básica de ensino quanto do ensino superior. É importante ressaltar para a sociedade que a universidade não trabalha só com o ensino em sala de aula. A universidade pública e os institutos atuam no desenvolvimento de tecnologia na pesquisa e extensão, que são atividades sociais e dão retorno em serviço para a comunidade”, salientou o professor Marcelo Siqueira.

Ainda segundo o docente, o corte nas instituições federais impacta diretamente na economia dos municípios do Juruá. “Nos dias de pagamento da educação são os dias em que o comércio está lotado e é dia em que os empresários ganham mais dinheiro e, portanto, podem empregar mais”, frisou.

Para a acadêmica de Licenciatura Indígena na Ufac, Francisca Apurinã, os cortes retiram os direitos já conquistados. “A universidade pública é para todos e os cortem inviabilizam a inclusão e acesso de todos. Nós precisamos das bolsas para manter os nossos estudos”, destacou.

Na Ufac, a medida adotada pelo governo federal resulta na perda de R$ 15 milhões em investimentos, enquanto no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (Ifac), o corte representa a redução de R$ 5,8 milhões, afetando diretamente alunos, professores, pesquisadores e o ensino público no Estado.

“Aqui no Vale do Juruá, os cortes vão resultar no fechamento da Ufac e Ifac. Isso significa que mais de 4 mil alunos vão ficar sem estudar aqui em Cruzeiro do Sul”, alerta o presidente do Diretório Central de Estudantes, Ulisses Bandeira.

Rio Branco

Em Rio Branco, o protesto também reuniu manifestantes na Ufac e na praça do Palácio Rio Branco, em frente a Assembleia Legislativa.