Gladson Cameli é homenageado pela Polícia Civil em festa de encerramento de curso de formação

Novos integrantes da Polícia Civil do Estado do Acre, aprovados em concurso de 2017, expressaram gratidão pelo governador, nesta sexta-feira, em cerimônia que marcou o fim do curso de formação policial

“Essa história de dizer que não dá, que não tem como fazer, é de quem não tem compromisso com as pessoas. Mostrei que foi possível fazer e saio daqui com uma única certeza:  a de que com Deus podemos tudo.” A frase proferida pelo governador Gladson Cameli na solenidade de formatura de 269 integrantes do quadro da Polícia Civil do Estado do Acre resumiu, em poucos segundos, um gesto de compromisso do governador que fora iniciado lá atrás, ainda no dia 5 de fevereiro, quando o gestor recebeu um grupo de aprovados na Casa Civil para anunciar que os convocaria para o trabalho, honrando o compromisso de valorizá-los, compromisso esse não cumprido pelo governo anterior, em 2017.

Na noite desta sexta-feira, 1º, dia em que o novo governo completou dez meses, os novos homens e mulheres da instituição, que têm como princípio ser o Braço Forte da Justiça e da Sociedade, celebraram no Maison Borges a cerimônia de conclusão do curso de formação: 900 horas de aulas com o apoio de instrutores de várias forças de segurança, que vão permiti-lhes assumir suas funções nos próximos dias, quando serão nomeados e seus contratos publicados no Diário Oficial do Estado do Acre.

Foi uma solenidade memorável. Com os familiares, instrutores e os coordenadores da Academia de Polícia Civil (Acadepol), os novos profissionais ouviram atentamente aos discursos de carinho e de respeito das autoridades presentes, enquanto aplaudiam, entoavam gritos de guerra e até pulavam, numa demonstração de alegria e de gratidão pelo que estava acontecendo em suas vidas.

O governador agradeceu especialmente ao vice-governador, Major Rocha, que nas suas palavras, “tem auxiliado incondicionalmente o governo a avançar no caminho certo” e fez um deferência aos familiares dos novos policiais, agradecendo-os pela confiança do voto nas urnas.

“Não são vocês que estão precisando do Estado, mas o Estado é que precisa de vocês”, disse Cameli. “E eu chamo todos para construirmos juntos uma nova história. Sozinho eu não posso, mas tenho a consciência de que Deus tem nos abençoado. O clima aqui é de reencontro. De um momento que me marcou muito, lá no início do nosso governo quando três jovens, representando todos vocês, se apresentaram a mim e me pediram uma oportunidade para trabalhar. Vocês não sabem o quanto aquilo significou”, frisou o governador Gladson Cameli.

E completou: “A Polícia Civil, assim como todas as demais polícias, tem feito o seu papel. Tem feito de tudo para um bom serviço na nossa região amazônica, mesmo sem condições de trabalho. E no encontro que tive com o presidente [Jair Bolsonaro] na China, falei do heroísmo de vocês e das condições desiguais, como são equipadas as polícias na região de fronteira do Paraná com o Paraguai, lá muito bem assistidas e, aqui na Amazônia, não tão bem valorizada como deveria”.

Representantes e instrutores da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Militar do Estado do Acre, do Instituto de Administração Penitenciária, do Ministério Público do Estado do Acre e do Tribunal de Justiça foram homenageados com um placa de agradecimento pela colaboração imprescindível para que o realização do curso de formação.

A Acadepol disponibilizou 70 instrutores para o curso de formação, sendo 90% deles policiais civis e de outras forças policiais, entre policiais militares, bombeiros militares, policiais federais, policiais rodoviários federais e agentes penitenciários, que ministraram uma média de 40 disciplinas em 18 semanas de curso.

Os 269 alunos foram divididos em oito turmas, entre alunos-delegados, escrivães, agentes de polícia e auxiliares de necropsia com uma carga horária de 900 horas. Oitenta horas foram de prática de tiro, armamento e munições e 100 horas, de estágio supervisionado em delegacias regionais e especializadas, e no Instituto Médico Legal, com 50 horas de técnicas de necropsia, entre outras disciplinas relevantes para a atividade policial.

“Nós estamos aqui para servir”, diz aluno-delegado

O aluno-delegado Felipe Gonçalves Martins fez um discurso emocionado, repleto de reflexões sobre a jornada que vão começar. Como orador da turma, ele lembrou aos seus colegas que um dos valores mais importantes que deverão carregar da agora em diante é o da gratidão.

“Somos gratos a Deus, primeiramente, e ao senhor [governador], um homem de palavra, um homem justo e que olhou para a nossa causa com dignidade e carinho. Temos a consciência da dificuldade que o estado passa. Das dívidas deixadas com os senhores. O senhor necessitará de tempo para colocar em prática tudo aquilo que deve ser consertado, mas saiba de uma coisa: o governo do senhor já deu certo e dando certo, as pessoas também ficam felizes”, afirmou Martins.

“Meu sonho era chegar a delegado de polícia e como cada um aqui tem uma história de vida, nesse momento passa um filme da luta que tivemos para chegar até aqui. Mas saiba de uma coisa, governador: nós estamos aqui para servir. Já avançamos pela última barreira e estamos prontos para servir à população com o amor e a dedicação que ela tanto merece. A nossa imensa gratidão pelo que o senhor fez por nós”, concluiu o orador.

Também se fizeram presentes à solenidade o secretário da Casa Civil, José Ribamar Trindade, o diretor-geral de Polícia Civil, José Henrique Maciel, o diretor da Acadepol, Getúlio Teixeira, o deputado Cadmiel Bonfim, representando a Assembleia Legislativa do Estado do Acre, o desembargador-presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, Francisco Djalma, a procuradora-geral do Ministério Público do Estado do Acre, Kátia Rejane de Araújo Rodrigues, a delegada da Polícia Federal Telma Ribeiro da Silva, além do comandante da Polícia Militar, coronel Ezequiel Bino, o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Batista, e outras autoridades.