Idoso de 68 anos realiza sonho de cursar direito após se aposentar no Acre: ‘não foi fácil’

José Carneiro, de 68 anos, cresceu em seringal e cedo se dedicou ao trabalho, deixando os estudos em segundo plano. Mas, agora aposentando, ele conseguiu realizar o sonho de se dedicar aos estudos. A história dele foi destaque no Bom Dia Amazônia, da Rede Amazônica, nesta segunda-feira (9).

Desde que conseguiu a vaga em um curso de direito em Rio Branco, a rotina dele tem mudado completamente. Sapato nos pé, material organizado e mochila nas costas, ele enfrenta um percurso a pé até chega ao ponto de ônibus.

No coletivo, ele encara aproximadamente uma hora e meia para chegar até a faculdade onde faz o curso. Ele é um dos primeiros a entrar na sala e já vai logo tirando o livro da bolsa. Ele diz que só depois da aposentadoria pôde mesmo focar naquilo que sempre quis: ter um curso de ensino superior.

“Nunca imaginava que eu ia poder estudar uma faculdade. Não foi fácil. Hoje eu penso assim: ‘eu tô mesmo estudando a faculdade?’ Pra mim é um sonho, mas não acreditava que ia conseguir chegar até aqui”, diz ainda sem acreditar.

Olhos atentos, concentração total e as anotações não param. Os planos pro futuro são muitos, mas, depois de anos precisando de um advogado para conseguir se aposentar, ele já escolheu a área que quer seguir.

“Creio que vou sair com a OAB e vou querer me especializar em direito previdenciário. Minha vontade é essa”, planeja.

Exemplo

Para os professores, estudantes e coordenação, o aposentado é sinônimo de força e persistência, se tornando um exemplo na turma. “O que é espetacular dele é a força de vontade que ele tem, ele vai ser o que ele quiser”, aposta Fábio Santos, que coordenador do curso.

A professora Samara Mota diz ainda que acredita que José Carneiro ainda vai evoluir muito na carreira que escolheu seguir depois de tantas batalhas que teve que enfrentar na vida.

“Ele escolheu o curso onde nós não temos nenhum limite pra você ser um aluno bem sucedido. Ele escolheu uma carreira que ele pode progredir e muito”, pontua.

‘Inspiração’

Para os alunos, mais do que exemplo, o idoso inspira e mostra que, mesmo diante das dificuldades, ainda é possível acredita na capacidade de virar o jogo.

“Eu acho ele uma inspiração para mim, porque tanta gente desisti dos estudos porque veem dificuldade e ele está aqui”, diz Vitória Nascimento, colega de sala.

A idade dele, segundo a estudante Juliane Costa, que também divide a mesma sala, é só um detalhe.

“Apesar da idade dele, ele tá aqui na sala de aula, enfrentando preconceito por ele ter mais idade que nós, acho muito bom pra gente”, pontua.

Para ele o conselho é simples: que continuem estudando e eles possam realizar juntos o sonho da formatura. ‘Não perca a oportunidade, não deixe passar, para que a gente se forme junto’, finaliza.

G1/AC

loading...