Idoso diz o que vai fazer se ganhar R$ 275 milhões na Mega-Sena: ‘comprar a casa própria’

A movimentação nas casas lotéricas de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, foi intensa na manhã deste sábado (11). Milhares de apostadores decidiram tentar a sorte no sorteio da Mega-Sena que acumula um prêmio de R$ 275 milhões. Entre eles, o aposentado Deusdedite Barahuna Bezerra, de 79 anos, que também decidiu fazer uma aposta para tentar ganhar o prêmio e realizar o sonho de conquistar a casa própria.

Bezerra contou que dificilmente joga na loteria, mas, quando acordou neste sábado (11) pela manhã, a sua esposa recomendou que ele fosse fazer uma aposta. “A minha velha disse ‘vai lá jogar, vai que a sorte está do nosso lado’. Aí eu decidi seguir o conselho dela, vai que ela está prevendo alguma coisa”, disse o aposentado.

Para tentar ganhar o prêmio, bezerra fez apenas dois jogos, mas ele acha que é o suficiente, pois acredita que quem ganha tem que estar com a sorte ao seu lado. Ele revelou que aos 79 ainda mora de aluguel e, se vencer o sorteio, vai pagar contas e comprar a casa de sues sonhos.

“Se ganhar, vou pagar as dívidas e comprar uma casa que ainda não tenho. Trabalhei 54 anos para o governo, ganho uma aposentadoria de R$ 2 mil, mas ainda não tenho uma casa”, diz Bezerra.

Muitos jovens também decidiram participar do sorteio com o sonho de se tornarem milionário. O médico Rondiney Brito, de 29 anos, disse que, além de ajudar a família e amigos, se chegar a ganhar o prêmio, pretende desenvolver ações sociais na cidade onde mora.

“Dá para mudar de vida e ajudar muitas pessoas que precisam. É aquela máxima de que só ganha quem joga. Então, fazer uma fezinha sempre é bom. Eu sempre jogo, e ainda mais que o prêmio está acumulado. A esperança é que um dia dê certo”, diz Brito, que garante que continuaria exercendo a profissão, mas diminuiria sua carga de trabalho, caso tivesse a sorte de acertar os seis números sorteados.

O carteiro Expedito Costa, que não tem costume de jogar com frequência, também decidiu tentar a sorte. “As chances, apesar de muito remotas, mas a gente tem que acreditar. É difícil acertar, mas impossível não, por isso, enquanto há vida, há esperança e eu tenho esperança. Se ganhar, minha primeira intenção é ajudar a família toda e depois viajar, conhecer o mundo inteiro”, diz Costa.

Por Mazinho Rogério