Jenilson Leite diz que reforma da previdência não pode ser votada sem que haja diálogo com os trabalhadores

O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Jenilson Leite (PSB), criticou na sessão desta quinta-feira (7) a forma como o governo do Estado vem conduzindo o processo que modifica a reforma da Previdência Estadual. O parlamentar lamentou ainda a maneira como os servidores públicos foram tratados no parlamento acreano durante a manifestação da última quarta-feira (6).

“Ontem, os servidores ficaram aqui sem água e sem ar-condicionado, um absurdo. Diante disso, eu sugiro que desliguem o ar-condicionado deste plenário para que a gente possa continuar a sessão no calor, como aconteceu ontem enquanto os trabalhadores estavam aqui. Também não concordo que os servidores tenham que ser revistados para entrar nessa casa, o que queriam que eles fizessem? Que ficassem batendo palma lá fora enquanto aqui dentro tramita um projeto que tira os direitos deles? ”, indagou.

Para o oposicionista, o parlamento acreano se transformou num palco de luta dos trabalhadores contra àqueles que querem retirar os seus direitos. “Querem tirar deles os direitos que foram conquistados ao longo dos anos, sem conversar, sem pedir opinião. Querem aprovar essa matéria de maneira truculenta. Por isso eu peço que essa casa retire esse projeto de pauta e chame os servidores para o debate. Caso contrário, vamos continuar lutando até o último minuto para defendermos o direito do trabalhador”, disse.

Ainda segundo o Jenilson Leite, o governo do Estado está quebrando uma regra democrática.

“Do modo que o projeto está ele não pode ser votado hoje e nem nunca nesta casa. Estão quebrando uma regra democrática que é de ouvir a parte mais interessada, por isso eu peço que retire a matéria desta casa e devolva ao governador”, concluiu.

  • Com informações da Assessoria Parlamentar.