Major Rocha e Sérgio Moro se reúnem amanhã em busca de recurso para segurança na fronteira

O vice-governador do Acre garantiu que uma unidade especializada na segurança da fronteira do estado com os países vizinhos (Bolívia e Peru) será implantada até o primeiro semestre de 2019, mesmo sem ajuda de recursos financeiros do governo federal. Ainda assim, irá pleitear junto ao Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, a possibilidade de um empenho orçamentário para auxiliar neste projeto. A reunião vai ocorrer nesta terça-feira, 7, em Brasília.

Major Rocha disse, ainda, em entrevista concedida ao programa de rádio, ‘Fale com o Governador’ no último sábado, dia 4, que o governo do estado pretende atuar em parceria com as polícias boliviana e peruana no combate de crimes. Segundo ele, o governo de Gladson Cameli não vai culpar o governo federal pela deficiência na defesa das fronteiras, como fazia a gestão anterior, de Sebastião Viana.

“A criação dessa unidade vai combater os crimes na fronteira, além de nos permitir a criação do policiamento nas trancas da fronteira do Acre. Temos que ter o controle e evitar que a droga e o armamento, que alimentam o crime organizado em todo o país, entrem pelo Acre”.

Durante o programa, o vice-governador falou da provável reunião com o ministro Sérgio Moro nesta terça-feira. “Iremos atrás de recurso para financiamento dessa unidade. Mesmo a fronteiras sendo responsabilidade do governo federal, não vamos ficar de braços cruzados”, disse.

Conforme o vice, essa unidade vai ser instalada independente do custeio governo federal. “Mas é importante que o Ministro saiba que a droga que chega a São Paulo, por exemplo, passa pela nossa fronteira”. A ideia é sensibilizar o governo para reverter o quadro de segurança nas fronteiras.

A proposta ainda visa contar com o reforço dos candidatos que estão no cadastro reserva do último concurso da Segurança, no Acre, para atuar nessa unidade de fronteira.

Relações internacionais

Até o momento, o estado do Acre já buscou alinhamento estratégico junto à polícia peruana, na tentativa de criar uma relação próxima com as forças de segurança com os países vizinhos. “Já procuramos esse contato e tivemos uma primeira conversa com a polícia do Peru. Estamos tentando contato com governador do Departamento de Pando, na Bolívia, para que essa reunião aconteça e também possamos fazer esse ‘link’ com a polícia boliviana”, afirmou Rocha.

Por Thaís Farias