Major Rocha participa de Fórum de Governadores e debate sobre segurança

Com o objetivo de debater sobre as questões que envolvem meio ambiente, segurança pública, planejamento, educação e saúde, governadores e representantes da Amazônia Legal se reúnem nos dias 27 e 28 de novembro em São Luiz, no Maranhão, para alinhamento de estratégias que beneficiem os nove estados que compõem a região. A reunião faz parte da programação do 19º Fórum de Governadores da Amazônia Legal.

O vice-governador Major Rocha, participou do primeiro dia de debate na Câmara da Segurança Pública, na qual a discussão principal foi em torno da evolução da nota conceitual do projeto prioritário: Programa Tático Operacional de Articulação Interestadual em Segurança Pública.

Rocha enfatizou a importância do evento e disse que o Acre firmará um termo de cooperação com os estados do Amazonas e Rondônia para atuação na área de fronteira dos dois estados, de modo que os Estados tenham livre acesso para atuação nas regiões de fronteiras, independente dos limites desses estados.

Outra questão debatida girou em torno da divisão dos recursos da Petrobrás, destinados a questões ambientais, sobre o qual há um pleito para que sejam dirigidos também à segurança pública.

“Esse fórum é de suma importância para que possamos direcionar a convergência dos projetos para interesse do bem comum. Para a melhoria dos povos que compõem a Amazônia Legal, como por exemplo, que tenhamos um termo de cooperação entre o governo estadual e a União para atuação no combate ao tráfico de entorpecentes. Hoje os estados atuam nesse combate, mas na verdade é um campo de atuação da União. Por isso ficou definido que iremos cobrar do governo federal uma definição em relação a essa questão”, explicou o vice-governador.

Rocha disse ainda, a respeito do Fundo Nacional de Segurança Pública, que houve um recente corte dos recursos, momento em que foi sugerido pelo vice-governador que os estados mobilizem as bancadas federais de todos as unidades da federação que compõem o Fórum da Amazônia Legal (Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima e Tocantins), para que juntos possam pressionar de alguma forma o governo federal e esses recursos possam voltar.

“Precisamos que o governo federal se sensibilize e entenda a importância de investir recursos na Segurança Pública. A maioria das drogas e armas que tem entrado pelas nossas fronteiras é por conta da omissão do governo federal e hoje quem paga essas contas são os estados. A ideia é que a União se sensibilize para que esses recursos possam voltar aos cofres de cada estado. Sendo assim teremos recursos para combater a criminalidade”, finalizou Major Rocha.