Mulher morre após ter 80% do corpo queimado ao acender lamparina

Após ficar 12 dias internada no Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, Maria Zenaide Silva, de 37 anos, morreu neste domingo (28). Ela estava internada com queimaduras em 80% do corpo, provocadas por um acidente com óleo diesel ao acender lamparina.

Zenaide mora em Mâncio Lima, na comunidade Rio Azul, onde não existe energia elétrica. Ao abastecer uma poronga, como é chamada a lamparina no interior do estado, com óleo diesel, uma vasilha com combustível tombou sobre o corpo dela e as chamas do utensílio provocaram o incêndio.

A mulher foi socorrida por familiares e levada para o hospital da cidade vizinha, mas ela não resistiu e morreu neste domingo. O corpo da mulher foi levado para o velório em Mâncio Lima e será sepultado nesta segunda-feira (29).

O uso de poronga ainda é comum em várias comunidades que não existe rede de energia em municípios do Acre. O Rio Azul fica a 36 quilômetros da cidade e não existe estrada para se chegar ao local. Para ir à sede do município, os moradores levam mais de 5 horas de barco.

Por Mazinho Rogério