No Vale do Juruá, mais de 40 mil animais devem ser vacinados contra a febre aftosa

Uma mudança na dose da vacina contra febra aftosa motivou uma reunião de técnicos do Instituto de Defesa Animal e Florestal (Idaf), em Cruzeiro Sul, nesta terça-feira (30). Na ação, pecuaristas e donos de lojas foram orientados para o início da campanha nesta quarta-feira (1º).

A intenção é vacinar mais de 40 mil animais nos cinco municípios acreanos do Vale do Juruá. Na reunião, os servidores do Idaf explicaram que a vacina, que era aplicada em doses de 5 ml, agora será apenas de 2 ml e tem apenas 2 princípios ativos.

“Mudou porque tinha um componente que causava muita irritação na musculatura do animal que chegava a gerar uma perda de 2 a 3 quilos por carcaça. Com isso, foi feito esse melhoramento da vacina”, explica o médico veterinário do Idaf, Luiz Leite.

O rebanho total dos municípios que formam a regional do Juruá (Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Porto Walter e Marechal Thaumaturgo) é de 88 mil bovinos. Nesta campanha, serão vacinados os animais de 0 a 2 anos de idade, que somam 50% de todo rebanho desses municípios.

“O produtor tem até o dia 31 de maio para vacinar e até o dia 15 de junho para declarar a vacina no Idaf. Caso ele não cumpra esses prazos, está sujeito as penalidades previstas na legislação que é a interdição da propriedade e a multa”, alerta leite.

A previsão para o Acre receber o certificado de zona livre da aftosa sem vacinação era para este ano, mas, a data foi adiada para o mês de junho de 2020. Até lá, os criadores ainda devem vacinar três vezes os seus animais, agora em maio, em novembro de 2019 e em maio do próximo ano.

“Todo criador tem que está com o seu rebanho vacinado para manter a sanidade de seus animais para ter acesso as licenças. É importante a gente fazer a nossa parte. É melhor para todo mundo. Temos uma mudança agora e estamos buscando as informações para nos atualizarmos”, disse o pecuarista Amauri Braga.