Pela 1ª vez, detentos ganham estande na Expoacre Juruá e expõem farinha feita em presídio

Detentos da Unidade Prisional Manoel Néri participam, pela primeira vez, da Expoacre Juruá, em Cruzeiro do Sul, com exposição de farinha e derivados produzidos por eles.

No estande do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), o público pode encontrar tapioca, beiju e a famosa farinha da cidade.

Os alimentos são produzidos em uma casa de farinha que fica dentro da unidade prisional. O trabalho é feito por 32 detentos que têm bom comportamento.

“Eles que fazem todo o processo, desde o início, a retirada da macaxeira, limpeza e todo resto. É tudo com eles. Temos uma casa de farinha toda equipada dentro do presídio, tudo é feito lá”, explicou o diretor do presídio Missael Melo.

Ainda segundo o diretor, a produção gera um lucro de até R$ 3 mil por mês para os presos. Porém, os produtos não estão à venda na exposição, mas o público pode provar dos produtos.

Stand do Iapen-AC dentro da Expoacre Juruá oferece degustação de farinha, tapioca e beiju para público — Foto: Divulgação/Iapen-AC

Stand do Iapen-AC dentro da Expoacre Juruá oferece degustação de farinha, tapioca e beiju para público — Foto: Divulgação/Iapen-AC

“Estão indo três [presos] por noite e temos os agentes fazendo toda segurança. É a primeira vez que eles vão para exposição”, frisou.

Melo afirmou que a ida dos presos para a exposição representa uma revolução positiva na unidade. Ele garantiu que o número de presos aumentou de 40 para 130 e não há mais brigas e rebeliões.