Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde quer derrubar secretária

Adailton Cruz diz que Mônica Feres não conhece a realidade do Acre, está tratando os servidores como lixo e por isso precisa ser retirada do cargo

A Secretária de Estado de Saúde do Governo do Acre, médica Mônica Feres, que está licenciada do cargo por motivos particulares, não terá vida fácil à frente do cargo quando retornar da licença.  Foi o que anunciou o presidente o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintesac), Adailton Cruz, através de um áudio que circula em aplicativos de redes sociais da Internet.

No áudio, o sindicalista diz que está percorrendo o interior do Estado levando informações sobre a gestão da secretária, que aponta como vinda “lá da casa do Chico”, e que por onde tem passado a situação é de revolta. O último município visitado pelo sindicalista foi Xapuri, no Alto Acre, onde se reuniu com servidores do hospital “Epaminondas Jácome” e o clima entre os servidores também seria muito ruim.

“Essa gestora vem lá da Casa do Chico, e não sabe quem nós somos nem o que passamos e chega aqui querendo se impor com uma visão totalmente voltada só para o lado dos médicos e tratando os demais profissionais como cachorros ou como lixo”, disse Cruz. “Eu tenho certeza absoluta que ela seria a pessoa menos indicada para assumir o processo de gestão em saúde do nosso Estado”, acrescentou.

De acordo com o sindicalista, Mônica Feres precisa ser combatida com toda a força do Sindicato da categoria para que seja derrubada do cargo. “Nós temos que lutar muito, com muita força para retirá-la do cargo. Nós temos que retirá-la batendo também no governador, porque ela não veio para cá sozinha não. Foi a convite dele, que a está apoiando e tudo o que ela faz é com a assinatura dele. O responsável direto é ele, o governador. Isso só está ocorrendo ele quer”, disse o presidente. Segundo o sindicalista, Gladson Cameli nunca deu ouvidos a quem está no Estado e trabalha de forma permanente e a quem realmente sabe o que é preciso fazer.

“Todos nós sabemos que não se avança num processo de saúde desrespeitando os profissionais. Os profissionais estão cumprindo

suas obrigações mesmo com os salários lá em baixo e só vamos melhorar quando os gestores perceberem que só podem avançar com a nossa participação”, disse Adailton Cruz, ao anunciar que, na semana que vem, estará nos municípios do Vale do Juruá, a partir de Cruzeiro do Sul, chamando os trabalhadores da saúde da região para a união.

O sindicalista se despede dos companheiros dizendo que sonha com um dia em que os trabalhadores em saúde, de forma unida, invadam o prédio onde funciona a Secretaria de Saúde, em Rio Branco. “Nós não estamos parados e estamos trabalhando neste sentido”, disse.