Reforma de Gladson pode custar R$ 130 milhões em comissionados, Duarte se mantém contra

Foto: Odair Leal/Secom

O deputado Roberto Duarte (MDB) mantém seu posicionamento contra a criação de novos cargos no governo do Estado. “Voto contrário à criação de novos cargos. Porque, até mesmo, o governador disse que governaria com 900 cargos comissionados. Isso foi uma propaganda dele de campanha”, afirmou o parlamentar, em entrevista ao Juruá em Tempo na manhã desta segunda-feira, 20.

A reforma da reforma deve entrar em votação na terça-feira, por enquanto os parlamentares estudam ponto a ponto o texto enviado pelo governo do Estado, na última semana. Duarte, que atua de forma independente e é um dos principais críticos do governo, explica que esta reforma foi enviada apenas para a criação de novos cargos.

“No momento que você assume a gestão, tem que trabalhar. Na campanha, o governador afirmava que iria diminuir a máquina pública. Com essa reforma, vão ter mais de 1600 cargos comissionados e eu fui o primeiro parlamentar a se colocar contrário à criação de novos cargos”, declarou. Segundo suas análises do texto da reforma, o custo deste total postos de confiança seria mais de R$ 130 milhões anuais.

Este custo seria uma preocupação, já que dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontam que houve crescimento no gasto com a folha de pagamento de pessoal. Duarte anunciou que irá apresentar, amanhã, uma emenda que suprime o artigo com criação de cargos no texto da reforma.