Sem leitos, pacientes aguardam atendimento deitados no chão e nos corredores do Pronto Socorro

Enquanto o governador Gladson Cameli (PP) segue com seus decretos de exonerações e substituições na área da saúde, supostamente a pedido da nova secretária da pasta, Monica Feres, a situação da saúde pública do Acre se agrava.

A Fundação Hospitalar do Acre segue com cirurgias suspensas após transferência de médicos especialistas para o Pronto Socorro de Rio Branco que mesmo com o aumento no quadro de médicos continua ostentando um atendimento ineficiente e caótico.

Um dos pacientes que se encontra no Pronto Socorro de Rio Branco enviou à redação da Folha do Acre imagens que mostram pacientes com soro deitados no chão, além de dezenas de outros que ocupam corredores.

A reportagem da Folha do Acre entrou em contato com o diretor do PS, Areski Peniche, que afirmou que a unidade ainda não recebeu os leitos de retaguarda que são as vagas abertas por outras unidades hospitalares que deverão dar apoio ao PS.

“Esperamos que até o final da tarde as vagas sejam abertas e consigamos desafogar a observação. O PS garante o primeiro atendimento apenas”, diz.

Questionado se o número de leitos diminuiu, Areski garante que não.

Por Folha do Acre.