Quatro assassinatos foram registrados somente nesta madrugada na capital Rio Branco

Pelo menos quatro corpos deram entrada no Instituto Medico Legal (IML), na madrugada desta sexta-feira (02), em Rio Branco. Todos do sexo masculino mortos por disparos de arma de fogo, sendo um no bairro Defesa Civil, dois no bairro Jequitiba e o último na saída da Unidade Pricional (UP4).

Neste último caso, a vítima foi identificada como, Mossiene Damasceno Lima e foi alvejado por pelo menos 10 disparos de arma de fogo. 40. Em seguida três veículos que estavam no estacionamento da unidade e mais uma moto foram incendiados.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiram controlar as chamas antes que se espalhasse pará os demais.

O delegado da homicídios Remulo Diniz, era quem estava de plantão durante a madrugada e acompanhou todos os casos de perto. As 8h40, o delegado dará entrevista para dar detalhes sobre cada caso.

A suspeita é de que tenha iniciado uma nova crise entre as facções criminosas atuantes no estado.

Vítimas assassinadas na madrugada foram mortas com armas de uso restrito

A Polícia Civil através da Delegacia de Homicídios (Dhpp), já abriu inquéritos para investigar as quatro mortes registradas na madrugada desta sexta-feira (02) na capital. Ao que foi apurado até o momento, todos as vítima são do sexo masculino e foram mortas por disparos de arma de fogo de uso restrito.

O primeiro caso aconteceu por volta das 1h30 em uma residência localizada no bairro Defesa Civil. A vítima, Romário Silva de Nascimento, de 25 anos, estava dormindo quando teve  a casa invadida e foi assassinado com três tiros.

Não demorou muito, e outros dois foram assassinados nas dependências do bairro Jequitiba. As vítimas foram identificados como Samuel de Oliveira, de 18 anos e José Ricardo Souza Batista Junior, de 26 anos. Sobre estes casos, a polícia investiga se são moradores da região ou foram levados pará a cena do crime. Foram encontradas pela perícia, pelo menos, 10 projéteis de pistola. 40.

O último caso se deu na saída do regime sem aberto na Unidade Prisional (Up-04), mais conhecido como Papudinha por volta das 6h. Mossione Damasceno Lima, de 34 anos, que cumpre pena pela tentativa de homicídio do proprietário da Auto Escola Radar, ocorrida no ano passado, foi executado por dois homens com cerca de 10 tiros. Em seguida, os reeducandos pertencentes a mesma facção da vítima atearam fogo em três veículos de integrantes da facção rival, que estavam no estacionamento.

Há duas semanas, em uma ação da Polícia Civil, dois homens foram presos na região da Papudinha também com uma pistola de uso restrito e confessaram na delegacia que a missão era executar Mossione Damasceno, como não conseguiram a missão foi cumprida por outras pessoas. Com informações de OrioBranco.

Share Button