Rio Branco, Acre, 26 de janeiro de 2021

No Acre, vaqueiros protestam contra proibição da vaquejada

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Criadores, tratadores e domadores de cavalos saíram em cavalgada, nesta terça-feira (11), em protesto contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode tornar a vaquejada uma prática ilegal em todo o país. De acordo com a organização, ao menos 200 pessoas participaram do ato. O número é o mesmo estimado pela Companhia de Trânsito de Rio Branco (Ciatran), que acompanha o trajeto.

A vaquejada é uma tradição cultural nordestina na qual um boi é solto em uma pista e dois vaqueiros montados a cavalo tentam derrubá-lo dentro de uma área estabelecida e marcada por cal. Segundo as regras do esporte, a derrubada só é considerada válida se o boi cair, ficar com as quatro patas para cima e se estiver na área delimitada. Dependendo do local da queda, pontos são somados ou não a dupla.

Criador de cavalos José Lins de Melo Neto, de 31 anos, explica o ato e defende a prática. “Essa mobilização nacional é em prol de nosso esporte, que tanto amamos, que é a vaquejada. Quem é o dono de boi e cavalo que vai querer maltratar seu animal? É tipo um ente da família, são animais de primeira categoria”, afirma.

O domador de animais Orlangelo Ferreira é outro que defende a manutenção da vaquejada. “É uma cadeia que afeta das pessoas que tratam os animais, os artesãos que fazem o material que usamos nos animais, as pessoas que fazem o transporte. Como essas pessoas vão sustentar suas famílias?”, questiona.

Ele diz ainda que antes de tomar uma decisão, os juristas deveriam acompanhar o trabalho de criação dos animais que participam desse tipo de prática. “Precisam ver o tanto que a gente gasta e o tanto de imposto que a gente gera. Não tem maus-tratos de jeito nenhum”, enfatiza.

O ato em Rio Branco saiu do terminal de integração no início da rodovia AC-010 e seguiu por uma das faixas da Avenida Antônio da Rocha Viana. O trajeto deve seguir ainda pelas avenidas Benedito Maia e Getúlio Vargas, de onde segue de volta ao ponto inicial pela estrada das Placas.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.