Rio Branco, Acre, 13 de junho de 2021

1.393 benefícios do INSS no Acre foram interrompidos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O estado do Acre teve 1.393 benefícios do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) cessados entre o segundo semestre de 2016 e o dia 10 de maio, a partir do Programa de Revisão de Benefícios por Incapacidade (PRBI). A economia com os cancelamentos é de R$ 33,6 milhões, de acordo com o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS).

Ao todo, 3.544 auxílios-doença e 2.482 de aposentadorias por invalidez serão revisados até o fim do ano, no Acre. Desde o início das revisões, foram realizadas 1.879 perícias (1.567 de auxílios-doença e 312 de aposentados por invalidez). Entre os benefícios analisados, foram cessados 1.305 auxílios-doença e 88 aposentadorias.

Este ano, as convocações dos beneficiários que passarão por pericia médica iniciaram no dia 1º de março. Esta é a segunda etapa do Programa de Revisão de Benefícios por Incapacidade, realizado pelo INSS.

As convocações foram realizadas por meio de cartas e publicações do Diário Oficial da União. Terão que passar pela revisão, os beneficiários de auxílio-doença que estão há mais de dois anos sem passar por uma perícia médica e para os aposentados por invalidez com menos de 60 anos.

O beneficiário que não atender a convocação ou não comparecer na data agendada terá o benefício suspenso. A partir da suspensão, o beneficiário tem até 60 dias para procurar o INSS e agendar a perícia. Caso a procura não seja realizada dentro do prazo, o benefício será cancelado.

Na data marcada para a realização da avaliação, o segurado deve levar a documentação médica disponível como atestados, laudos, receitas e exames. O agendamento da pericia pode ser realizado pelo número 135.

A meta é analisar 1,2 milhão de benefícios por incapacidade até o final de 2018, sendo 273.803 de auxílio-doença e 995.107 de aposentadorias por invalidez. A economia estimada é de R$ 15,7 bilhões ao longo do programa.

Natan Peres

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.