Rio Branco, Acre, 15 de junho de 2021

Mais de 51 mil pessoas já foram alfabetizadas pelo Quero Ler desde 2016

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O Quero Ler, maior programa de alfabetização da Região Norte, está fora do contexto da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) sobre o analfabetismo no Acre. É o que revela a Secretaria de Estado de Educação e Esporte, com base nos próprios números do programa e no período que foi feito o levantamento da PNAD pelo IBGE.

Ao analisar os dados, verifica-se que a pesquisa feita pelo IBGE tem como referência os anos anteriores à existência do Quero Ler no Acre. Os pesquisadores do IBGE levaram em conta o ano de 2016 para tabular os dados em 2017.

Ocorre que o Quero Ler começou apenas em 2016, e, no seu início, em apenas quatro municípios.

“Por isso, a PNAD divulgada agora não reflete a atual situação da alfabetização no estado, uma vez que as primeiras etapas do Quero Ler ganharam volume mesmo somente em 2017”, revela o secretário-adjunto de Educação, Evaldo Viana, um dos coordenadores do programa.

Como as principais etapas do Quero Ler tiveram início somente a partir do segundo semestre de 2017, esse período não foi incluído no levantamento do IBGE.

Ainda conforme Evaldo Viana, “os dados [do IBGE] foram extraídos desde uma amostra probabilística, utilizando informações gerais e que levam em consideração o ritmo regular e esperado da queda do analfabetismo, para obtenção dos números”.

“Portanto, eles seriam fieis apenas quando for realizado o Censo em 2020 – algo que também não será possível, justamente porque o Quero Ler está terminando este ano, com a redução de 13% para 4% na taxa de analfabetismo”, explica Viana.

A maior prova de que o Acre está muito à frente do que diz o IBGE, numa pesquisa que teve como referência dados anteriores ao Quero Ler, é que em vários municípios o analfabetismo já foi erradicado em 2017.

Nos 22 municípios acreanos já foram alfabetizados 51 mil jovens e adultos que se inscreveram no programa. E até o fim deste ano, eles chegarão a 60 mil alfabetizados, o que vai conferir ao Acre o posto de estado livre de um problema social.

A ousadia do governador Tião Viana de erradicar o analfabetismo no estado tem como foco o futuro, com um Acre livre da escuridão e pleno do letramento de sua população.

A meta do Quero Ler é reduzir o índice de analfabetismo de 13,1% para 4% da população, de 2016 a 2018. Serão 60.282 jovens, adultos e idosos a partir dos 15 anos de idade até o fim deste ano. Desse total, 32.387 (53,72%) são da zona rural e os outros 27.895 (46,28%), da zona urbana.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.