Rio Branco, Acre, 26 de outubro de 2020

Professor acreano fala das consequências se não houver o adiamento do Enem 2020

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A data para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio 2020 (Enem) continua prevista para o mês de novembro deste ano. Mesmo com a suspensão das aulas presenciais em todo o país, o Ministério da Educação ainda não considera a possibilidade de adiar o exame.

A Defensoria Pública da União entrou com recurso para que o Tribunal Regional Federal da 3ª Região reveja a decisão do desembargador Antônio Cândido que impediu o adiamento do Enem. Em abril, a DPU obteve uma liminar favorável para a revisão do calendário do Enem, mas a medida foi derrubada após pedido da Advocacia-Geral da União (AGU).

Diante das polêmicas que envolvem o calendário do Enem 2020, a possibilidade do adiamento divide opiniões; mas, o professor e coordenador educacional Tiago Rodrigues Benedetti afirma que o não adiamento do exame prejudicará tanto os alunos da rede pública quanto da rede particular de ensino.

“O exame não é só um processo seletivo, ele marca o final do ensino médio. Então, para o aluno que está no terceiro ano do ensino médio é importante que ele tenha essa conclusão do currículo escolar. Não faz sentido ter Enem na data prevista, porque sabemos que o currículo não será finalizado até novembro”.

Além disso, o educador explica que a manutenção da data do exame aumentará a desigualdade social entre os candidatos; pois, é evidente a dificuldade de acesso dos alunos da rede pública aos recursos digitais. Essa dificuldade prejudica o processo de aprendizado desses estudantes.

“É importante que o Enem seja adiado. E esse adiamento tem que acompanhar o tamanho da paralisação das aulas para termos um mínimo de justiça. Sabemos, ainda, que há uma questão social, o aluno da escola particular é treinado para fazer o Enem”.

E destaca: “Considerando esse atraso por causa da suspensão das aulas presenciais, as escolas particulares conseguiram ter mais condições de oferecer aulas remotas. Já a escola pública demorou para fazer alguma coisa. O aluno ainda não tem as mínimas condições de receber esses recursos. Adiar o Enem também seria uma atitude de solidariedade, para reduzir essa distância que já existe normalmente. Não adiando o Enem, essa desigualdade social vai ficar ainda mais escrachada”.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.