Projeto “A Biologia da Ufac Contra a Covid-19” leva informação para conscientizar a população cruzeirense

O Projeto “A Biologia da Ufac contra a Covid-19” nasceu com o propósito de levar informação científica e instruir, através das redes sociais, a população de Cruzeiro do Sul e região do Juruá sobre o novo coronavírus e o perigo de novos vírus provenientes da fauna silvestre.

Entre as metas do projeto estão: esclarecer sobre a forma correta de higienização e cuidados necessários para evitar contágio e proliferação do vírus; conscientizar a população sobre a importância da quarentena; disponibilizar informações científicas atualizadas sobre a Covid-19, dentre outras. O objetivo principal é “espalhar ciência para conter o vírus”.

O projeto foi idealizado pela professora Dra. Leandra Bordignon, que conta que a ideia de criar o projeto veio do anseio de ajudar a população a entender um pouco mais sobre a doença e conscientizar sobre a importância de seguir as orientações dos órgãos de saúde.

“Idealizado da junção da minha vontade de espalhar a ciência sobre o tema, da ideia dos alunos em ajudar a esclarecer o assunto para a sociedade e da situação que estava se estabelecendo por conta dessa quarentena. Pensamos, assim, em um projeto através das mídias sociais, e nesse momento a Ufac nos apoiou disponibilizando bolsas para projetos de extensão relacionados à Covid-19”.

E acrescentou: “As coisas vieram a calhar. Resolvemos o problema da ansiedade dos alunos em quarentena, que estão trabalhando super felizes e empolgados. E ainda resolvemos a questão financeira de algum deles, que são alunos carentes. E como curso, conseguimos fazer a nossa parte dentro da sociedade”.

O Instagram ‘Bio x Covid-19’ tem mais de 1500 seguidores. Diariamente, o grupo responde a questionamentos e tira dúvidas com relação a doença. Também são realizadas postagens de artigos científicos atuais, dados oficiais, dicas de prevenção e muitos outros materiais informativos e acessíveis.

“Levantamos ainda outro aspecto que é a questão da fauna silvestre. Esse vírus surgiu na China, porém, sabemos que na Amazônia temos uma fauna silvestre muito diversa. Então, as chances de termos outros vírus ainda não conhecidos que possam desenvolver doenças tão graves quanto a Covid-19 é muito grande”, disse a professora, ao acrescentar que o consumo de animais silvestres e o cativeiro de animais na zona urbana coloca a população em risco.