Rio Branco, Acre, 28 de setembro de 2020

PGR abre apuração sobre movimentação de funcionários de Bolsonaro na Câmara

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

O procurador-geral da República, Augusto Aras, determinou a abertura de uma apuração preliminar em relação a movimentação de funcionários do gabinete de Jair Bolsonaro (sem partido), à época em que ele era deputado federal.

O órgão vai avaliar se há elementos que indiquem alguma irregularidade nas movimentações salariais, entre os anos de 1991 e 2018, por parte de assessores que trabalharam no gabinete de Bolsonaro, na Câmara dos Deputados.

A decisão de Aras foi comunicada ao Supremo Tribunal Federal (STF) após o Ministério Público Federal (MPF) ter sido provocado a se manifestar a respeito de um pedido de investigação feito por um advogado.

Reportagem do jornal “Folha de São Paulo” publicada em julho deste ano mostrou que funcionários eram exonerados e recontratados no mesmo dia e tinham salários aumentados, o que não impedia que pouco tempo depois tivessem as remunerações reduzidas a menos de metade.

“Ao tomar conhecimento dos fatos descritos na presente petição, foi instaurada notícia de fato [apuração preliminar] no âmbito desta Procuradoria-Geral da República, voltada para a sua averiguação preliminar”, disse o procurador-geral.

Segundo Aras, “na eventualidade de surgirem indícios suficientes de uma possível prática ilícita pelo representado serão adotadas as medidas cabíveis junto a essa Corte suprema”.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.