Rio Branco, Acre, 26 de fevereiro de 2021

Emoção marca início da vacinação de trabalhadores das unidades de referência para Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Após dez meses da chegada da pandemia de Covid-19 no Acre, a quarta-feira, 20, foi marcada por lágrimas, braços erguidos, sorrisos e um combo de gestos que exprimiam alívio e alegria dos servidores da Saúde que trabalham nas unidades de linha de frente no enfrentamento ao coronavírus.

Enfermeiras do Into-AC manipulam ampola de vacina contra Covid-19 Foto: Taís Nascimento

A primeira etapa de vacinação, que tem como público-alvo os trabalhadores das unidades da linha de frente à Covid-19, além de indígenas e idosos institucionalizados, começou simultaneamente em todas as unidades de referência.

“É uma alegria muito grande”, comemorou a secretária adjunta de Assistência à Saúde, Paula Mariano, que resumiu o momento em gratidão e emoção. “O governador Gladson Cameli solicitou que essa vacinação fosse iniciada o quanto antes. Com a chegada da vacina ontem [terça-feira,19] às 6h da manhã, nesta quarta todos os municípios receberam a vacina e iniciaram o processo de imunização”, destacou.

Secretária adjunta de Assistência à Saúde, Paula Maria, destaca que “todos os profissionais das unidades de referências para Covid-19 serão vacinados” Foto: Taís Nascimento

De acordo com a secretária, “todos os profissionais das unidades de referência para Covid-19 serão vacinados”. Lúcia de Fátima Carlos, de 61 anos, que é enfermeira e trabalha na área há 28 anos, foi a primeira a receber a vacina no Into-AC. Ela teve Covid-19 e sentiu os sintomas fortes da doença.

“Eu tinha muito medo de pegar Covid-19 de novo. Eu agradeço de coração o empenho dos governantes e, nesse momento, é muita emoção ser uma das primeiras a tomar a vacina”, agradece a enfermeira, que agora, com a primeira dose da vacina, poderá ajudar ainda mais pessoas.

“Eu agradeço de coração o empenho dos governantes”, disse a enfermeira Lúcia de Fátima Carlos Foto: Taís Nascimento

“Agulha não mata, né?”, brincou o funcionário terceirizado do Pronto-Socorro de Rio Branco, Francisco Cabral Souza, de 57 anos. A frase pronunciada por ele, que tem medo de agulhas, foi dita após receber a primeira dose da vacina.

Francisco Cabral Souza, de 57 anos, ficou tenso apenas pelo medo de agulhas, mas para ele o medo de pegar Covid-19 é maior Foto: Taís Nascimento

“A gente sabe que é uma doença perigosa e, agora, sabendo que temos a imunização, a gente fica mais tranquilo”, comenta o senhor Francisco, e, questionado sobre o medo de agulhas, diz: “Covid-19 mata, né? A agulha, não”, rindo aliviado.

O primeiro socorro e a primeira dose da vacina

O telefone tocou em março de 2020 e a equipe do Samu foi acionada para o atendimento de mais uma ocorrência. Daquela vez, o primeiro caso de um paciente com Covid-19 no Acre. Sendo assim, o governador Gladson Cameli, e o secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, garantiram que os “samuseiros”, como são chamados informalmente, também recebessem a vacina nesta primeira etapa.

“O paciente 001 foi transportado por nós”, contou o coordenador do Samu, Pedro Pascoal, que agradece o apoio dado pelo Estado ao serviço. “Garantir que o nosso servidor esteja imunizado, também é garantir que o próximo paciente não se contamine por transmissão dos nossos funcionários, então é uma satisfação enorme”, destacou.

Secretária adjunta de Assistência à Saúde, Paula Mariano e coordenador do Samu, Pedro Pascoal, durante vacinação de profissionais do serviço Foto: Taís Nascimento

Esperança

Na fila para receber a 1ª dose da vacina, a enfermeira da UPA do 2º Distrito, Ana Cláudia Onofre espera ansiosa. Ela não quer sair da fileira nem para tomar água, e de maneira descontraída, “disputa” com os colegas o posto de ser o primeiro a receber a vacinação na unidade.

“É esperança para milhares de pessoas, é uma esperança que se renova. Não tenho nem palavras porque dá até arrepios. Foi um momento muito esperado”, relata a enfermeira.

Ana Cláudia Onofre, conversando com colegas enquanto espera a vacina contra Covid-19Foto: Taís Nascimento

A UPA do 2º Distrito foi unidade de referência para o atendimento de pacientes com Covid-19 logo no início da pandemia. “Foram momentos de muito sofrimento para toda a equipe da unidade”, relembra Ana Cláudia Onofre.

Para a enfermeira, o momento “é uma retrospectiva em que passa todo um filme de tudo o que vivemos, porque foi um cenário de guerra. Perdemos amigos, parentes, pacientes. Esse momento é de muita emoção”, finalizou comemorando a chegada da vacina contra Covid-19.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.