Rio Branco, Acre, 20 de junho de 2021

Depressivo, designer gráfico desaparece em Rio Branco e deixa carta de despedida para a filha

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Uanderson de Oliveira Jucá, de 38 anos, sumiu de casa na quinta-feira (20), em Rio Branco. Segundo a família, ele faz tratamento contra a depressão e esquizofrenia.

A família do designer gráfico Uanderson de Oliveira Jucá, de 38 anos, busca desesperadamente notícias que levem ao paradeiro dele. Jucá saiu de casa na manhã dessa quinta-feira (20) sem dizer para onde ia deixando apenas uma carta de despedida para a filha de 8 anos.

Segundo o médico e irmão dele, Herson Vitor, o designer faz tratamento contra a depressão e esquizofrenia. Essa é a segunda vez que ele some em 15 dias. Na última vez, Vitor achou o irmão no mesmo dia em que saiu de casa seguindo em direção a Porto Velho (RO) de bicicleta.

Ele ficou alguns dias na casa de Vitor, e depois voltou para casa, onde mora sozinho. Nessa quinta, uma vizinha de Jucá o viu saindo de casa a pé. O médico foi até a casa do irmão e encontrou a carta.

“Deixou uma carta falando que está saindo do Acre porque as portas fecharam para ele, não tem o que fazer. Falando que não é nenhum vagabundo, deixou a casa para ela e que vai embora”, disse Vitor.

Ainda segundo o médico, Jucá trabalhou como designer gráfico por 14 anos e foi demitido há sete anos. Após a demissão, ele montou um negócio próprio com a mulher, mas, após algum tempo, começou a apresentar um quadro depressivo e esquizofrênico. Ele chegou a ficar internado no Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac).

Jucá já fugiu de casa várias vezes após ficar doente, sendo que a maioria das vezes tenta chegar em Porto Velho, onde tem família. Em uma dessas vezes, ele capotou o carro e sofreu um grave acidente de trânsito.

“Foi diagnosticado com as doenças há oito meses, mas faz tratamento há muito tempo. Já fugiu várias vezes, em uma delas capotou o carro, fraturou a perna. Melhorou, e tentou fuga de novo, foi achado na rodoviária e trouxemos de novo. Na última vez ele arrumou a bicicleta e achei ele na BR”, lamentou o irmão.

Vitor disse que já foi na rodoviária de Rio Branco em busca de notícias do irmão, porém, ninguém deu notícias dele. O médico registrou um boletim de ocorrência pelo sumiço na Delegacia de Polícia Civil do bairro Tucumã.

“Ele ama a filha dele, na última vez em que sumiu o encontro foi bem emocionante, mas sempre alega que o Brasil está entregue, não dá oportunidade, não respeita e é bom morar fora. Toda vez ele quer ir para Porto Velho, diz que o Acre não deu emprego para ele, oportunidade, mas eu mesmo já cheguei a ajudar nas despesas dele”, frisou.

Com informações G1 Acre

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.