Rio Branco, Acre, 20 de junho de 2021

Manifestantes organizam protesto contra Bolsonaro no Acre

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

No próximo sábado (29), vários movimentos sociais do estado do Acre estão organizando uma carreata contra o governo de Jair Bolsonaro, Hamilton Mourão e Paulo Guedes. “Pão, Vacina, Trabalho e Educação”, é nome dado ao ato e ocorrerá simultaneamente em muitas capitais do Brasil.

A carreata será integrada pela Unidade Classista, Movimento Universidade Popular (MUP), Cagel, União Juventude, Associação da Ufac e dentre outros movimentos.

Reivindicando o impeachment de Bolsonaro, rapidez na vacinação contra o novo coronavírus, o retorno do auxílio emergencial com a quantia de R$ 600,00 e apoiando a CPI da Pandemia, que está em andamento no Senado, os participantes pontuaram outras pautas, como a defesa da educação pública que deverá engrossar o manifesto, tendo em vista que acontece uma greve dos servidores da educação.

Um dos pedidos dos organizadores dos atos e que os participantes façam o uso de máscaras e o distanciamento social, se possível, utilizem álcool gel, respeitando as medidas de segurança.

Os organizadores disseram que a carreata iniciará às 15 horas na Arena Acreana e encerrará às 16 horas, no Colégio Aplicação, e a partir das 16h30, os manifestantes caminharão do Colégio Aplicação e seguirão caminhando até ao Palácio Rio Branco.

O ato chamará também atenção quanto ao corte de verba sofrida pela Universidade Federal do Acre (Ufac). Um corte de R$ 5,2 milhões, do orçamento e que inviabiliza o pagamento dos serviços essenciais da universidade, como de energia elétrica, trabalhadores de limpeza e da segurança, e a compra de insumos para atividades de pesquisa, extensão e ensino, além do pagamento de bolsas de assistência estudantil. Segundo a reitoria da universidade, entre 2020 e 2021 as bolsas já foram reduzidas em mais de 44%.

“Temos que dar um fim às políticas genocidas de Bolsonaro-Mourão e Guedes, por isso vamos construir o ato Nacional em Defesa das Universidades e Institutos Federais, denunciando os ataques à Educação Pública, ao SUS e demais serviços públicos. Defendemos a revogação da Emenda Constitucional 95, e a garantia aos estudantes e a população em geral de Pão, Vacina, Trabalho e Educação”, declarou um dos coordenadores do ato.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.