Rio Branco, Acre, 31 de julho de 2021

59 anos de emancipação política do Acre é comemorada com troca de bandeiras e homenagem às vítimas da Covid-19

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Por Redação Juruá Em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Nesta terça-feira (15), o Acre completa 59 anos de emancipação política. A data foi celebrada pelo governo do estado com a troca de bandeiras no mastro que fica localizado no Calçadão da Gamileira, segundo distrito de Rio Branco. A solenidade iniciou com um minuto de silêncio em respeito às vítimas da Covid-19.

Em 1962, o então presidente João Goulart assinou a lei que elevou o território federal do Acre a estado. A lei foi criada pelo deputado federal José Guiomard dos Santos.

O governador Gladson Cameli disse que essa data deve ser comemorada por toda a população. Segundo ele, em breve, todos os acreanos serão imunizados. “Vamos ser imunizados, tenho fé em Deus”, ressaltou.

O evento contou com a presença de diversas autoridades do Acre; dentre elas, a primeira-dama, Ana Paula Cameli; o deputado federal, Alan Rick (DEM); a presidente do Tribunal de Justiça, Valdirene Cardoso; a presidente do Ministério Público, Kátia Rejane; o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nicolau Júnior e o presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, N Lima, ambos do Progressistas.

História da bandeira acreana

A bandeira do Acre foi criada durante o governo de Luís Galvez Rodrigues de Arias, 1899 a 1900, no chamado período da Revolução Acreana.

Nesse período em que foi proclamado o estado independente, o Acre era uma república cujo presidente era o espanhol Luís Galvez. Originalmente, a bandeira foi criada para representar os tratados de limites.

A bandeira possuía a diagonal invertida, a inclinação da direita em cima e da esquerda embaixo, porque era a representação dos tratados de Madri, de 1750 e tratado de Ayacucho, de 1876. Somente depois houve o Tratado de Petrópolis, com nova delimitação da fronteira, logo após da Revolução Acreana. Essas três fronteiras formavam uma linha horizontal, uma diagonal descendo da esquerda para a direita e uma última horizontal embaixo.

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!