Rio Branco, Acre, 31 de julho de 2021

Qualidade do ar no Acre é tema de palestra dentro da programação do Mês do Meio Ambiente

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), o Instituto de Mudanças Climáticas e Regulação dos Serviços Ambientais (IMC) contribuiu para a Programação do Mês do Meio Ambiente com a palestra “Padrões e Qualidade do Ar no Acre”, ministrada pelo doutor em Ciências de Florestas Tropicais e Diretor Executivo do IMC, Willian Flores.

A palestra virtual foi transmitida pelo Canal da Sema no YouTube, na quinta-feira, 10. Os convidados puderam aprender sobre a importância e os riscos ocasionados pela alta incidência de material particulado no ar, como a poeira, fumaça e fuligem, entre outros.

Willian Flores explicou que a poluição do ar é um dos grandes problemas de saúde pública dos tempos atuais e a exposição continuada a gases nocivos impacta até na diminuição da expectativa de vida.

Ele lembrou que, em 2005, o Acre enfrentou um dos períodos mais críticos devido à seca histórica provocada pelo aumento das queimadas ilegais, que ocasionou alta taxa de internação por problemas respiratórios, especialmente entre idosos e crianças e desde então esse problema vem sendo recorrente anualmente.

A incidência de material particulado no ar é apontada, pela comunidade cientifica, como um dos fatores para o desenvolvimento de efeitos adversos a saúde humana com infarto do miocárdio, câncer de pulmão, doenças pulmonares crônicas e aumento de internações por doenças do trato respiratório superior.

Para monitorar a qualidade do ar no Acre, Willian Flores lembrou que em 2017 foi instalado, no mês de novembro, na Universidade Federal do Acre – primeiro sensor Purpleair da Amazônia.

No ano seguinte, mais dois sensores foram instalados: Cruzeiro do Sul e Puerto Maldonado, Madre de Dios, Peru (Região MAP). Em 2019, outros 29 sensores foram instalados, pelo menos um em cada município do Acre. Em 2021, o Acre passou a contar com 31 sensores instalados. Atualmente essa base de dados está disponível nos sites Acre Qualidade do Ar : www.acrequalidadedoar.info e Purpleair www.purpleair.com/map?opt=1/mPM25/a10/cC4#7.04/-9.253/-70.379.

Saiba mais

No mês de maio, com a proximidade do período de estiagem, o Governo do Acre retomou a publicação diária do Boletim de Monitoramento de Queimadas de Qualidade do Ar na Amazônia Legal e no Acre. Os dados apresentam detalhes sobre o monitoramento de seca, risco de fogo, focos de calor, acompanhamento da poluição atmosférica e qualidade do ar.

Os relatórios são elaborados diariamente pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), por meio da Sala de Situação de Monitoramento Hidrometeorológico do Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma), e podem ser acessados no site da Sema (sema.ac.gov.br) e também da Agência de Notícias (agencia.ac.gov.br/sema).

Com informações da Agência de Notícias do Acre.

ALEAC

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!