26.3 C
Juruá
sexta-feira, agosto 12, 2022

Confusão na Aleac: Gerlen diz que Mazinho é “criminoso” e prefeito abre o berreiro “seu vagabundo”; assista

Por

A sessão da Assembleia Legislativa desta quarta-feira (25) não acabou nada bem. O prefeito Mazinho Serafim (Republicanos) de Sena Madureira, foi acusado na sessão de ontem de cometer diversos crimes durante a administração pública. A acusação foi feita pelo deputado Gerlen Diniz (Progressistas), que esteve hoje no plenário do parlamento para acompanhar os trabalhos, acompanhado de sua esposa, a deputada estadual Meire Serafim.

Na ocasião o deputado, provocou o prefeito e a confusão se iniciou. Diniz afirmou que fez diversas denúncias acerca de desmandos em Sena Madureira e estaria ratificando e reiterando
tudo o que disse. “Um patrimônio de R$ 3 milhões está em mãos de particulares, disse.

O prefeito Mazinho perdeu a paciência e em resposta começou a gritar e xingar o deputado. Presidente, me garanta a palavra”, pediu Diniz em meio aos berros de Mazinho.

O deputado Antônio Pedro, era o presidente da Mesa Diretora na ocasião e decidiu suspender a sessão. Mesmo assim, o burburinho continuou.

Mazinho demonstrou completa revolta ante as acusações e pediu para que o deputado Gerlen Diniz fosse retirado do parlamento. “Venha me retirar, seu vagabundo, O povo de Sena Madureira está te esperando nas urnas de novo. Pilantra, não faz nada por aquela cidade. Você tem que respeitar a minha mulher”, disse o prefeito, que foi contido pelo seu colega de partido, o deputado Roberto Duarte (Republicanos).

Mazinho foi retirado do local pelos seus aliados. Neste momento, Gerlen retomou a palavra e afirmou que se algo acontecer a ele todos “já sabem quem é o mandante”. E acrescentou que tem certeza que o prefeito será preso. “Pensa que com gritos, intimidação, vai conseguir me calar. Não tenho medo, mas se algo acontecer comigo já sabem quem vai ser o mandante, pois lá de onde ele vem isso é comum”, disse o deputado.

Diniz acusa a gestão de Mazinho de dilapidação do patrimônio público já que, segundo ele, o prefeito demoliu um armazém que servia para o produtor rural estocar a produção. “Vejam o tipo de gestor. Quando o cara sai gritando daqui é porque sentiu o golpe. É covarde, canalha, não tenho um pingo de medo desse cidadão”, afirmou Gerlen Diniz.

“Essa pessoa já agrediu camelô, vereador, já saiu espancando no meio da rua. Ele estava gritando aqui porque tinha um monte de segurança. Na rua, ele dobra esquina quando me vê”, relatou.

Para o deputado, o comportamento do prefeito pode ser comparado a de um animal, por isso, precisa ser enjaulado. Ainda de acordo com o parlamentar, o presidente da Mesa, Antônio Pedro, poderia ter evitado o tumulto e a vergonha que está submetida a Aleac ante aos gritos de Mazinho e pediu ação do Ministério Público e da Polícia Civil às denúncias que faz.

error: Alert: O conteúdo está protegido !!