30.7 C
Juruá
sexta-feira, julho 19, 2024

Acre mantém saldo positivo na geração de empregos em maio e gera mais de 4,1 mil postos em 5 meses

Por Tácita Muniz.

- Publicidade -

Pelo quarto mês consecutivo, o Acre manteve saldo positivo na geração de empregos e consolidou 4.194 novos postos de trabalho entre janeiro e maio, segundo os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged). Em maio, foram 924 novas vagas, configurando assim um estoque de 108.043 vínculos de emprego ativos.

Os setores que mais geraram emprego nestes cinco meses foram serviços e construção civil, com 2.774 e 686 postos, respectivamente. Comércio e indústria também se mantiveram com saldo positivo. Só em maio, foram 924 novos postos de emprego no estado. Serviços, construção civil e comércio lideram o ranking dos setores que criaram vagas.

Construção civil é um dos setores que mais empregam no estado. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Ao avaliar o crescimento de postos de trabalho e as movimentações econômicas, o titular da Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia do Acre (Seict), Assurbanípal Mesquita, diz que o estado tem sido protagonista. Para este ano, grandes obras e o estreitamento das relações comerciais do governo do Acre com outros países que podem se tornar potenciais compradores de produtos regionais devem impulsionar ainda mais os números.

“O governo do Estado tem aí um pacote, uma variedade de frentes de ação que vão realmente impactar a economia, gerando mais esperança, oportunidades e trabalho e distribuindo mais renda para toda a nossa sociedade. Posso destacar aqui algumas dessas iniciativas, olhando para o campo, para a produção rural, para o agronegócio; a gente tem aí a perspectiva da continuidade da produção agrícola, do milho, da soja e da produção familiar, que devem aquecer a economia”, explica Assurbanípal.

O fortalecimento do Programa de Compras Governamentais (Comprac) também deve ser decisivo para o sucesso desses números. “Ele já vem beneficiando diversos setores, como o moveleiro, de confecções, gráfico e agora vai ampliar para o setor de alimentos e outros setores industriais, como um incentivo que o governo vem dando. Então, o Comprac é um programa que vai ter, este ano, uma ampliação da sua demanda”, relata o secretário.

Uma das medidas para ampliar e fortalecer esse setor foi tomada em maio, quando o governador Gladson Cameli ampliou os segmentos da indústria local com prioridade no Comprac. “Tenho dito sempre nos meus pronunciamentos que o Acre é um grande diamante que precisa ser lapidado por todos nós que aqui vivemos, e a maneira dessa lapidação acontecer é pela geração de empregos e oportunidades para todos os acreanos e acreanas”, afirmou, ao assinar o decreto.

Saldo de cada segmento nos cinco meses

– Serviços: 2.774
– Construção: 686
– Comércio: 395
– Indústria: 352
– Agropecuária: -6

Dados da capital

Outro indicador que estabelece essa alta na empregabilidade foi uma pesquisa da Federação do Comércio (Fecomércio-AC), divulgada na quinta-feira, 27,que apontou que 54% da população rio-branquense tem trabalho fixo, enquanto ao menos 27,2% estão desempregadas. O estudo, feito com 205 pessoas domiciliadas na capital acreana, acrescentou ainda que 5,9% disseram viver de trabalhos não fixos e 12,9%, aposentados.

Ainda segundo o estudo, da população com trabalho fixo, 55% reforçou possuir carteira de trabalho assinada, enquanto o restante, de 45%, revelou trabalhar de maneira informal.

Aproximadamente metade da população de Rio Branco (59,9%) têm renda média de até R$1.412 por mês. Outra parcela, de 29,7%, informa renda entre R$1.413 a R$2.824 e 7,4% de R$2.825 a R$7.070. No mais, 3,0% tem renda mensal acima de R$7.070.

- Publicidade -
Copiar