30.7 C
Juruá
sexta-feira, julho 19, 2024

Nos 62 anos de emancipação do Acre, Estado realiza um tributo à coragem e ao amor pela pátria focando no crescimento e desenvolvimento

Por Redação O Juruá em Tempo.

- Publicidade -

No coração da Amazônia, onde a exuberante floresta se perde além do horizonte, há uma terra cuja história é marcada por coragem, luta e um profundo amor pelo Brasil. Neste 15 de junho, o Acre celebra 62 anos de emancipação política, um estado que, com bravura e determinação, lutou para se tornar parte do país. O Acre, com sua vasta biodiversidade e 85% de floresta preservada, é um testemunho vivo de que a paixão pela pátria pode transformar destinos.

Bandeira da Gameleira é um dos maiores símbolos e cartões postais do Acre. Foto: Arquivo/Secom

Em meio aos rios sinuosos e ao sol de rachar sobre a floresta densa, ecoam as histórias de seringueiros e líderes que, no final do século XIX e início do XX, enfrentaram adversidades inimagináveis para que este pedaço de terra fosse brasileiro. Desde a Revolução Acreana, liderada por heróis como Plácido de Castro, até a assinatura do Tratado de Petrópolis em 1903, cada passo foi um tributo à determinação e ao patriotismo da formação do povo acreano.

Investindo no futuro com respeito ao passado

Hoje, sob a liderança do governador Gladson Cameli, o Acre continua honrando seu legado de coragem com investimentos que visam o desenvolvimento sustentável e o bem-estar de sua população. Com uma área de 152.581 km² e uma população de 790.101 habitantes, o estado está focado em construir um futuro próspero e inclusivo, sem esquecer suas raízes históricas e culturais.

“Comemoramos os 62 anos de emancipação política do nosso estado. Um estado que lutou para ser brasileiro e que tem um povo acolhedor e que não desiste da luta. 15 de junho é um dia para celebrarmos o orgulho de sermos acreanos e, acima de tudo, de reverenciarmos a memória de todos os bravos guerreiros que participaram dessa luta. Viva o estado do Acre! Vivas ao povo acreano!”, destacou o governador Gladson Cameli.

Governador Gladson Cameli honra a memória dos heróis acreanos e aposta num Acre protagonista de suas defesas econômicas e sociais. Foto: José Caminha/Secom

A história do Acre é marcada por bravura e determinação. Originalmente parte do território boliviano, o Acre tornou-se destino de migração no final do século XIX, devido à descoberta da borracha. Brasileiros, especialmente nordestinos, se estabeleceram na região, levando as tensões e conflitos conhecidos como a Revolução Acreana.

Lideradas por figuras como José Carvalho e Plácido de Castro, essas revoltas resultaram na declaração da independência do Acre em 1902. A situação foi resolvida diplomaticamente em 1903 com o Tratado de Petrópolis, mediado pelo Barão do Rio Branco. O tratado garantiu a anexação do Acre ao Brasil, marcando o início de sua trajetória como território brasileiro.

Em 1920, o Acre foi transformado em território federal, preparando o terreno para seu crescimento. Até que finalmente, em 1962, a Lei nº 4.070 elevou o Acre à categoria de estado, simbolizando a plena integração na federação brasileira. Desde então, o Acre tem se destacado por sua rica herança cultural e ambiental, reforçando sua identidade dentro do Brasil.

Um olhar para as próximas gerações

Sob o governo de Gladson Cameli, o Acre está direcionando esforços significativos para o crescimento e o fortalecimento de sua população. O Estado investe em diversas frentes para assegurar um futuro próspero e sustentável, principalmente pensando nos acreanos que ainda virão.

Nova maternidade de Rio Branco será localizada no Segundo Distrito, com uma grande gama de serviços. Foto: Luan Martins/Sesacre

Na capital, Rio Branco, a construção da nova maternidade está prevista para ser concluída ainda este ano, sendo este um dos maiores projetos do governo do Estado hoje e que segue bastante avançado.

Com 150 leitos de enfermaria clínica e obstétrica, 16 salas de PPP (pré-parto, parto e pós-parto), 7 salas de cirurgia, além de leitos de UTI adulto e neonatal, a nova maternidade promete melhorar significativamente a assistência às gestantes e recém-nascidos, oferecendo um ambiente moderno e humanizado.

Gladson Cameli fez vistoria em obra da nova maternidade. Foto: José Caminha/Secom

“Fico muito feliz quando vejo uma obra saindo do papel, ainda mais quando é uma obra que vai receber minhas autoridades, que são as crianças. Isso mostra o compromisso e a dedicação da nossa equipe”, pontuou Gladson Cameli.

Obras para todos os lados

O Estádio Arena da Floresta, em Rio Branco, está passando por uma revitalização significativa, com 60% das obras já concluídas. Com um investimento de cerca de R$ 4,5 milhões, a reforma inclui iluminação de LED, novas arquibancadas e elevadores, seguindo critérios de segurança e acessibilidade.

Estádio Arena da Floresta já está com 60% das obras concluídas. Foto: José Caminha/Secom

Em Sena Madureira, a Ponte Frei Paolino Baldassari, que interliga o Primeiro e o Segundo Distrito da cidade, foi inaugurada com entusiasmo pelo governador há pouco tempo, representando um marco histórico para Sena Madureira. Com seus 232 metros de extensão, a ponte proporciona um novo caminho seguro e moderno entre os distritos, substituindo as antigas catraias e garantindo o direito de ir e vir da população.

Em maio, foram entregues ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) as obras do anel viário de Brasileia e Epitaciolândia. Com uma nova ponte sobre o Rio Acre e um investimento de R$ 34 milhões, esta obra melhora a conectividade e facilita o escoamento da produção local.

Anel Viário é uma obra que irá revolucionar o Alto Acre, cuja estrutura da ponte já foi entregue pelo Estado. Pedro Devani/Secom

Já a Ponte da Sibéria, em Xapuri, é outro projeto em destaque. Com uma extensão de 363 metros, ligando o Centro de Xapuri ao bairro Sibéria, a obra, orçada em mais de R$ 40 milhões, está fomentando a economia local e melhorando a mobilidade urbana.

Ainda em Rio Branco, o governador destacou os projetos da obra do Arco Metropolitano e a Orla do 15, chamando elas de “a menina dos meus olhos”. Ele também mencionou o avanço para iniciar de vez o viaduto da Avenida Ceará.

Em Xapuri, Ponte da Sibéria ligará um dos maiores bairros da cidade. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Estamos começando em breve o segundo semestre, o verão amazônico, época de seca. É hora de tocar as obras para transformar este estado”, declarou Cameli.

Desenvolvimento urbano e saúde regional

Em Mâncio Lima, o governo estadual investiu quase R$ 7 milhões na reforma e ampliação do Hospital Dr. Abel Pinheiro Maciel Filho, que agora oferece 32 tipos de exames. Além disso, projetos como a Alameda das Águas, com investimento de R$ 3,7 milhões, têm gerado empregos e melhorado a infraestrutura urbana.

Alameda das Águas, em Mâncio Lima, se tornará um dos maiores espaços de cultura e lazer do município. Foto: Diego Silva/Secom

Em Assis Brasil, foram anunciados investimentos na construção de uma ponte sobre o Igarapé São Pedro, manutenção de vias urbanas e rurais, e a construção de 11 unidades residenciais para famílias em situação de risco.

Sustentabilidade e preservação ambiental

O Acre, com 85% de sua floresta preservada, é pioneiro em políticas ambientais no Brasil. Com 90% do território no Cadastro Ambiental Rural (CAR), o estado promove a recuperação florestal por meio de sistemas agroflorestais (SAFs). Programas como o Plano de Prevenção e Combate ao Desmatamento (PPCDQ), Zoneamento Econômico Ecológico (ZEE), e o Sistema de Incentivo aos Serviços Ambientais (Sisa) destacam o compromisso do Acre com a sustentabilidade.

Acre, com 85% de sua floresta preservada, é pioneiro em políticas ambientais no Brasil. Foto: Arquivo/Secom

O Acre foi pioneiro na implementação do REDD+ jurisdicional, assinando em 2012 o primeiro contrato com o banco alemão KfW, por meio do Programa REM Acre (REDD+ para Pioneiros). Esses esforços têm colocado o estado como um exemplo nacional e internacional de conservação ambiental.

Um legado de coragem e visão

A história do Acre é uma narrativa de coragem, determinação e visão. Desde a luta pela sua anexação ao Brasil até os investimentos contemporâneos sob a liderança de Gladson Cameli, o estado tem mostrado que é possível crescer e se desenvolver, respeitando suas raízes e preservando seu meio ambiente.

Estado tem mostrado que é possível crescer e se desenvolver respeitando suas raízes e preservando seu meio ambiente. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Neste aniversário de 62 anos de emancipação, o Acre reafirma seu compromisso com um futuro sustentável e próspero, honrando a trajetória de seu povo e as lutas que o tornaram um estado brasileiro. A jornada continua, com foco no desenvolvimento, na preservação e no bem-estar de sua população, refletindo a essência de um estado que nunca desistiu de seus sonhos e de seu lugar no Brasil.

- Publicidade -
Copiar