Aumenta a circulação de notas falsas no comércio de Cruzeiro do Sul

Com a chegada das festas de fim de ano e o recebimento do 13º salário, o comércio começa a ganhar um novo ritmo. No mês de novembro a dezembro aumentam as vendas, que muitas vezes vêm acompanhadas de lucros e prejuízos, isso por que aumenta o uso de notas falsas.

De acordo com os comerciantes de Cruzeiro do Sul, final de ano representa correria e muito movimento, momento propício para os falsificadores atuarem, o que, segundo eles, costuma ocorrer sempre.

Segundo o proprietário de uma loja de acessórios celulares, Arthur Freitas, o local já recebeu muitas notas falsas, principalmente em época de final de ano.

Freitas conta que muitas notas no valor de R$10 e R$50 foram recebidas neste mesmo período do ano anterior.

“As notas são tão perfeitas que quando recebemos não as identificamos, só sabemos que é falsa porque o banco liga avisando quando fazemos um deposito. É impressionante como aumentam as notas falsas nesse período”, disse.

Em nota, o Banco Central do Brasil recomenda que ao receber uma cédula suspeita de falsificação, a pessoa deve analisar a marca d’água, a imagem latente e o registro coincidente. Cerca de 60% das cédulas não possuem marca d’água.

Qualquer informação de falsificação deve ser encaminhada à Delegacia de Polícia Federal ou Civil mais próxima.