Corte de 15 milhões no orçamento da Ufac compromete 2º semestre de aulas

A Universidade Federal do Acre, única instituição de ensino superior pública do Estado, pode perder R$ 15 milhões, caso o governo de Jair Bolsonaro (PSL) corte os repasses federais em 30%, como anunciado.

Nesta sexta-feira, 3, a reitoria divulgou a informação, demonstrando preocupação pois o corte compromete a realização de 2º semestre de aulas na Ufac.

“Se for mantido esse corte de 30%, a universidade não vai ser viabilizada no segundo semestre de 2019 porque afeta diretamente os serviços de manutenção, como água energia, segurança, limpeza e também os insumos suprimentos para nossos laboratórios e manutenção dos nossos cursos. Então, se mantido esse percentual, só vamos conseguir encerrar o primeiro semestre”, ressaltou a reitora Guida Aquino.

Segundo o atual ministro da Educação, Abraham Weintraub, “universidades que, em vez de procurar melhorar o desempenho acadêmico, estiverem fazendo balbúrdia terão verbas reduzidas”.

A Universidade Federal do Acre recebe R$ 44 milhões em verbas federais, tanto para custeio, como para capital. Ainda de acordo com a reitoria, que foi surpreendida com o anúncio do corte nos recursos federais, no próximo dia 16 haverá uma reunião entre o ministro e as instituições para que a situação seja definida.

“Quando eu não tenho estrutura, não tenho orçamento para bancar estrutura e também os suprimentos e insumos para nossos laboratórios. E, com isso, vamos ter o impacto direto na pesquisa, ensino e extensão”, observa Guida.

Ainda segundo a reitoria, a Ufac vem sofrendo com cortes em seu orçamento desde 2017 e que, inclusive, iniciou o ano letivo de 2019 com deficit. “A gente pensava que poderia ficar com serviços, insumos e os suprimentos, mas iniciamos esse ano com deficit e, se for mantido esse percentual de corte agora, não vamos o segundo semestre”, disse.