Gladson diz que decisão do STF que pode soltar Lula é “antipopular”, mas legítima

O governador Gladson Cameli disse, na manhã desta sexta-feira (7), em Rio Branco (AC), que está preocupado com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode colocar em liberdade o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo menos outros 1,6 mil brasileiros presos e condenados em segunda instância. O governador comentou o assunto ao chegar para participar de uma solenidade na sede da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), nesta manhã.

“É claro que se trata de uma decisão antipopular, contra o interesse da população”, disse o governador sobre o que o STF decidiu. “É claro que isso é decorrente da falta das reformas que sempre defendi para o país, desde a época em que era parlamentar. Estamos reformando a previdência e fazendo outras reformas e isso mostra que é necessário também de reformas no Código Penal Brasileiro, para acabar com coisas como essa para evitar que as brechas atuais causem transtornos como o que devemos viver por causa disso”, disse Gladson Cameli.

O governador lembrou, no entanto, que a decisão é de um Poder que tem legitimidade e que precisa ser respeitada. “Eu compactuo da ideia de que aquilo que a Justiça decide, não se discute; cumpre-se, mas isso comprova quilo que eu defendia há muito tempo atrás, de que as reformas são fundamentais para que possamos ter o fortalecimento da nossa democracia”, disse.

Sobre a possibilidade de enfrentamento entre defensores do governo do presidente Jair Bolsonaro e de petistas que defendem Lula, Gladson Cameli afirmou que “tudo é possível”. “Mas a população brasileira é inteligente e democrata e acredito que cada um vai ser sensato nas suas ideologias. O que não podemos é tapar o sol com a peneira: essa decisão (do Supremo), independentemente do ex-presidente, não é uma das prioridades do povo brasileiro”, disse.

Por Tião Maia, para o Contilnet.