PF faz operação contra crimes ambientais cometidos por servidores do Ibama em três estados

A Polícia Federal faz, nesta quarta-feira (8), uma operação de combate aos crimes ambientais praticados, supostamente, por policiais militares de Boca do Acre e servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) no Acre, Amazonas e Minas Gerais

Ao todo, são 36 mandados de busca e outras medidas cautelares nos três estados. Em Rio Branco estão sendo cumpridos 15 mandados, sendo que seis são de prisão. Outros também estão sendo cumpridos em Brasileia e Epitaciolândia.

De acordo com as investigações, a organização criminosa é responsável por extensos desmatamentos no sul do Amazonas, lavagem de dinheiro e corrupção. A PF informou que alguns servidores do Ibama, liderados pelo ex-superintendente regional do órgão, estavam recebendo vantagens indevidas para cometer os crimes.

A PF deve passar mais informações sobre a operação às 10h [horário do Acre] durante uma coletiva, onde vai ser apresentado o balanço das ações.

As multas por desmatamento, por exemplo, eram aplicadas a ‘laranjas’ em substituição aos verdadeiros responsáveis, repassar informações privilegiadas acerca das datas e locais das fiscalizações ambientais e deixar de apreender maquinário utilizado para desmatamentos.

PF faz operação no AC, MG e AM — Foto: Divulgação/PF-AC
PF faz operação no AC, MG e AM — Foto: Divulgação/PF-AC

Além disso, foi constatado o crime de grilagem na área. Segundo as investigações, alguns pecuaristas invadiam terras da União, comandavam desmatamentos e contratavam policiais militares para fazer a proteção das máquinas e das áreas de desmatamento.

Os moradores dessa área eram expulsos e ameaçados. Durante o período de investigação, uma tentativa de homicídio contra um pequeno produtor foi registrada.

Só em Rio Branco, foram cumpridos 15 mandados de busca  — Foto: Divulgação/PF-AC
Só em Rio Branco, foram cumpridos 15 mandados de busca — Foto: Divulgação/PF-AC

Ao longo dos últimos anos, os investigados foram alvo de 169 autos de infração lavrados pelo Ibama, somando aproximadamente R$ 147 milhões em aplicação de multas, referente a uma área de 86 mil hectares, duas vezes maior do que a área urbana de Rio Branco.

A Operação

São mais 180 policiais envolvidos na operação que ocorre no Acre, Amazonas e Minas Gerais. O Exército também reforçou a ação, que cumpre 36 mandados de busca e outras medidas cautelares. A operação recebeu o nome de Ojuara, por ser tema de livro e filme brasileiros que narram as aventuras do personagem, indivíduo que teria desafiado o Diabo, fazendo referência ao codinome de um dos investigados.

G1