Rio Branco, Acre, 20 de setembro de 2020

Adolescente com doença rara desmaia toda vez que ri demais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Com uma doença rara no cérebro, a adolescente Billie Hodgson, 17, pode chegar a “desmaiar” depois de rir demais. Ela tem uma condição chamada cataplexia, que desencadeia um tipo de paralisia muscular toda vez que a garota sofre uma grande emoção, que pode ser tristeza, susto, surpresa ou, até, uma crise de riso.

A cataplexia é, normalmente, uma complicação da narcolepsia, a doença que faz o paciente cair no sono em qualquer momento do dia. Cientistas acreditam que o problema acontece por conta do hormônio hipocretina, que tem um papel importante em manter o corpo acordado durante o dia e não funciona corretamente se o paciente não dorme.

Sem o hormônio no cérebro, a comunicação do órgão com o resto do corpo pode parar de acontecer por qualquer motivo – no caso da garota, algumas emoções. Ela foi diagnosticada depois de perder a força nas pernas após uma crise de riso na escola.

Os ataques de cataplexia têm vários graus de severidade, que vão de queda dos músculos da face e pálpebras, fala embolada e visão dupla até desligamento total do corpo. Normalmente, os episódios duram menos de dois minutos.

“É difícil explicar como me sinto quando entro em colapso, é como se eu não tivesse controle do meu corpo e não posso intervir no que está acontecendo. Eu não consigo falar ou responder nada, mas o mais frustrante é que estou consciente”, conta a adolescente ao Daily Mail.

A doença não tem cura e o tratamento passa por controlar a narcolepsia. Billie afirma que as maiores dificuldades dela são controlar as emoções, não assustar e afastar os amigos, que evitam fazer piadas ao seu redor, e repensar sua futura profissão.

“Meu sonho era ser parteira, mas não posso mais fazer isso porque perco o controle das minhas mãos. A doença está evitando que eu faça o que quero e não sei mais qual curso seguir na universidade. Me tornei ansiosa quando preciso sair de casa e não posso dirigir”, explica.

Apesar da situação, Billie quer falar sobre a cataplexia e destruir o estereótipo do paciente.

  • Fonte: Metrópoles.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.