Rio Branco, Acre, 15 de maio de 2021

Fortalecimento da economia: governo do Acre vende ZPE e recurso será investido na indústria

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Redação Juruá em Tempo
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Nesta sexta-feira, 16, o governo do Estado deu um passo importante para o avanço da economia do Acre. Por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) e da Secretaria Adjunta de Licitações (Selic), o governo realizou o Leilão da Zona de Processamento e Exportações (ZPE), arrematada por R$ 25,8 milhões, pelo grupo de investidores China Haiying do Brasil, no ato representados pela Organização Contábil Prado, do estado.

Entregue à população acreana há quase dez anos, com a promessa de geração de emprego, fortalecimento das empresas locais e abertura de novos negócios, a ZPE não apresentou os resultados esperados desde sua criação, onerando os cofres públicos. Fazer o leilão do empreendimento era um desejo do governador Gladson Cameli desde o inicio de sua gestão, de forma que a instituição fosse reativada e pudesse cumprir seu papel inicial de trazer investimentos para o estado, fazendo do Acre porta de entrada do Brasil, para investidores do mundo todo.

A área de mais de cem hectares está localizada no município de Senador Guiomard, e após laudo técnico e parecer da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), por conta do estado de deterioração do prédio, ficou avaliada em pouco mais de R$ 25 milhões. O gestor da Seict, Anderson Abreu, explicou que o governo esteve buscando uma solução para a ZPE por dois anos. “Foi um trabalho árduo, em que nós estivemos tratando, buscando investidores, e hoje estamos concretizando o sonho de viabilizar um investimento que há anos estava parado, gerando somente despesa para o Estado”, disse.

Gestor da Seict, Anderson Abreu, explicou que o governo esteve buscando uma solução para a ZPE por dois anos Foto: José Caminha/Secom.

Em 25 dias, o Estado receberá 5% do valor total da compra, em forma de entrada, e vai destinar o recurso a investimentos na indústria local. “Optamos pela venda da Administradora da Zona do Processamento e Exportações (Azpe) por achar ser o caminho mais viável para seu funcionamento. Na iniciativa privada há mais condições de encontrar empresas para viabilizar o empreendimento. O governador optou por essa alternativa, tendo em vista que  os recursos investidos voltarão para os cofres públicos, e com a geração de emprego e renda vem o desenvolvimento regional, que hoje é o mais importante para o governo” explicou o diretor de Gestão Operacional e Recursos Humanos da Azpe, Marcos Vinicius de Moraes.

Em 25 dias, o Estado receberá 5% do valor total da compra, em forma de entrada Foto: José Caminha/Secom.

O representante do grupo de investidores, José Maurício Prado, explicou que a empresa tem o objetivo de criar mecanismos que ajudem a fortalecer a economia do Acre. “Temos toda a condição de investir e de fazer com que o empreendimento funcione do jeito que precisa. A escolha foi estratégica, inclusive porque recebemos ofertas de outros lugares, mas o Acre foi escolhido justamente por ter a saída do Pacífico, com a intenção de que todo produto saia por essa estrada, mesmo sabendo que ainda há investimentos de infraestrutura a serem feitos”, ressaltou.

Linha do tempo da ZPE

Em julho de 2010, o governo do Estado sancionou a lei nº 2.296, que criou a empresa de economia mista vinculada, à época a antiga Secretaria de Estado de Desenvolvimento Florestal (Sedens).

A ZPE Acre foi a primeira do país a receber autorização alfandegária para funcionar, chegando inclusive a receber propostas para instalação de empresas, que não vigoraram.

Desde o início de sua gestão, o governador Gladson Cameli demonstrou preocupação com o empreendimento, empenhando-se em encontrar soluções para que a ZPE entrasse, de fato, em funcionamento e se tornasse economicamente viável, além de ofertar novos postos de trabalho e, consequentemente, gerasse renda e desenvolvimento. Começou ai a corrida para vendê-la.

Primeiramente, o governador Gladson Cameli integrou a comitiva brasileira liderada pelo presidente Jair Bolsonaro, cumprindo agenda internacional voltada ao fortalecimento da integração entre o Brasil e a China. Na oportunidade, ficou estabelecida a cooperação estratégica entre o Acre e a província chinesa de Shandong.

No ano seguinte, o governo sancionou a lei que integraliza a área administradora na zona, ficando com toda área autorizada a negociar com possíveis investidores. Em seguida publicou o edital e por fim realizou o leilão.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.