Rio Branco, Acre, 14 de maio de 2021

Iapen comemora 7º aniversário do Centro de Treinamento de Cães Penitenciários

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Com informações da Agência de Notícias do Acre.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Há sete anos, o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen/AC) dava os primeiros passos para a inserção do trabalho com cães nas atividades de segurança nos presídios. A comemoração do 7º aniversário do Centro de Treinamento de Cães Penitenciários (CTCães) foi realizada na manhã desta quarta-feira, 14, na sede da instituição, instalada ao lado do Complexo Penitenciário de Rio Branco.

Na oportunidade, o presidente do Iapen, Arlenilson Cunha, destacou que é um momento de alegria e de compartilhar as experiências: “O Canil se tornou uma ferramenta fundamental para as ações da Polícia Penal dentro e fora do ambiente prisional. Hoje nós temos o centro de treinamento com cães ativos desde a guarda, proteção e faro. Isso tem sido fundamental para o fortalecimento da Polícia Penal e da segurança dos estabelecimentos prisionais do Estado”, disse.

O coordenador do CTCães Penitenciários, Laurênio Melo, explicou que o principal trabalho desenvolvido com os cães é a técnica do “corredor de segurança”. Nesse sistema, o cão fica entre a muralha e o pavilhão com o intuito de evitar as fugas. “Se, por acaso, o preso sair do pavilhão, com um metro de distância o cão já começa a latir para avisar os policiais. O cão só ataca se o preso pular dentro da área de proteção dele”, afirmou.

Sobre as qualidades dos animais disponíveis no Iapen, o coordenador destacou que o cão é uma das melhores ferramentas já usadas dentro do sistema penitenciário, além de ser a menos letal. “Temos os cães de faro, como uma cadela que fareja celular e os cães de guarda e proteção, que são para intervenção. Também temos cães de faro de entorpecente. Estamos trabalhando em conjunto com a Polícia Civil”, ressaltou.

“É uma imensa satisfação poder estar aqui neste momento. Nós acolhemos esse povo inicialmente lá no Bope e foi um prazer, pois nós também estávamos em início de treinamento. Foi uma junção que eu acredito que tenha dado certo. Parabéns ao Iapen e à Polícia Penal”, disse o tenente-coronel Flávio Inácio, atual comandante do 3º Batalhão de Polícia Militar.

O delegado Rodrigo Noll Comaru destacou a parceria firmada, entre as instituições de segurança, no trabalho que auxilia o processo de investigação. “A utilização de cães na segurança pública hoje é indispensável e a Polícia Civil também percebeu isso. Nós agora precisamos da ajuda de vocês para trabalhar com cães, porque vemos que há situações em que é o cão que vai resolver, que vai trazer a solução para uma informação que nós já temos e que, sem ele, nós não acharemos”, afirmou.

Trajetória

Durante a comemoração, os profissionais relembraram a trajetória do Centro e os avanços ao longo do último ano de gestão. Eles lembraram que o Canil começou em 2014, com apenas três policiais penais que resolveram ir até São Paulo para adquirir o conhecimento específico da área em um curso de cinotecnia.

Em 2016, o Canil Penitenciário foi devidamente formalizado no âmbito do Iapen, mas os profissionais foram acolhidos dentro da Polícia Militar, para adquirirem mais conhecimento e passarem a desenvolver o trabalho. Somente em 2020 as duas instituições resolveram que o canil do Iapen precisava de uma casa própria.

Ao longo dos sete anos, a atividade com cães foi difundida na instituição, o que possibilitou a realização do primeiro estágio de cinotecnia, ocorrido em setembro de 2020. Com isso, a quantidade de profissionais saltou de quatro para nove e a quantidade de cães foi de três para 14.

Atualmente, o CTCães também conta com a parceria da Polícia Civil e atua em operações policiais que empregam as polícias Penal, Militar e Civil.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Getúlio Vargas n. 22 – Salas 7 e 8 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.