24 C
Juruá
domingo, junho 26, 2022

Narcotraficante peruano pode ter ligação com morte de Dom e Bruno

Por redação.

A Polícia Federal segue apurando o que motivou o assassinato brutal do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo Pereira, no Vale do Javari, Amazonas. Uma das linhas de investigação é de que o mandante do crime seria um narcotraficante peruano conhecido como “Colômbia”. No último sábado (11/6), a coluna já havia revelado que o criminoso internacional Rubens Villar Coelho poderia ter ligação com os homicídios.

As apurações dão conta de que Colômbia fornece entorpecentes provenientes do Peru e da Colômbia a facções brasileiras. Ele estaria incomodado com a atuação do indigenista. Bruno Pereira chegou a apreender barcos e peixes que pertenciam à quadrilha. O lucro da pesca ilegal de pirarucus e tracajás — espécie parente da tartaruga comum na Amazônia — seria apenas um meio de lavar o dinheiro do narcotráfico.

Rubens Villar Coelho, ou Colômbia, teria ligação direta com os dois irmãos presos pela PF: Amarildo da Costa de Oliveira, o Pelado, e Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como Dos Santos. Um tio de Amarildo, que atua como líder comunitário, também é apontado como “funcionário” de Colômbia. Até o momento, ao menos cinco pessoas são investigadas por envolvimento nas mortes.

Os investigadores também procuram a embarcação que era utilizada pelas vítimas. As buscas foram retomadas na manhã desta sexta-feira (17/6). Já o barco dos irmãos presos foi localizado, apreendido e tinha vestígios de sangue.

Segundo o Comitê de Crise coordenado pela Polícia Federal do Amazonas, o sangue coletado do barco forneceu um perfil genético completo. Ao ser confrontado com os perfis das vítimas, no entanto, o resultado foi de incompatibilidade com Dom Philips e inconclusivo para Bruno. Para sanar dúvidas e esclarecer se o sangue é ou não do indigenista, exames complementares ainda serão realizados.

  • Fonte: Metrópoles.
error: Alert: O conteúdo está protegido !!