Rio Branco, Acre, 31 de outubro de 2020

Banco Mundial elogia governo do Acre pela aplicação correta de recursos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Especialistas do Banco Mundial estão no Acre acompanhando o resultado de investimentos realizados em parceria com o governo do Estado, por meio do Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Acre (ProAcre).

O programa tem por objetivo ampliar a presença do Estado nas comunidades mais isoladas, fomentando a produção familiar, respeitando o meio ambiente e melhorando a qualidade de vida dos produtores.

Durante a quarta-feira, 15, representantes do banco realizaram uma visita técnica à comunidade Bom Jesus, localizada no Projeto de Assentamento Moreno Maia, no quilômetro 40 da Transacreana.

As 69 famílias da região foram beneficiadas no ano passado com um investimento de R$ 117 mil na aquisição de equipamentos como plantadeiras e roçadeiras, kit de casa de farinha e cursos de capacitação, investimentos que mudam a vida de pequenos produtores.

É o caso do agricultor Aldo Oliveira, que com a ampliação da casa de farinha teve a oportunidade de aumentar sua produção.

Hoje, Oliveira produz por mês seis toneladas de farinha. Outra fonte de renda é a produção de goma, que já chega a 600 quilos por semana.

“Esses equipamentos para a comunidade são de grande importância. A gente consegue produzir com mais qualidade. Hoje meu produto, tanto a farinha quanto a goma, já sai embalado, pronto para ser comercializado”, afirma Oliveira.

Especialista do Banco Mundial afirma que Acre é modelo

Além de uma reunião com os produtores rurais, os representantes do Banco Mundial fizeram questão de conhecer algumas das experiências produtivas da região.

Visitaram lavouras de mandioca e feijão. Uma das exigências da parceria é o respeito ao meio ambiente. Todo o sistema produtivo é realizado sem o uso do fogo e sem o desmate de novas áreas.

Adriana Moreira, gerente de projetos do Banco Mundial, afirmou que considera referência a parceria com o Acre. “O trabalho feito aqui é de muita qualidade. Eu considero um modelo no que se refere a uma agricultura mais agroecológica, já que o Acre ainda tem mais de 80% das suas florestas preservadas”, diz Adriana, que tem experiências do mesmo trabalho em outros países da América Latina, na África e na Ásia.

Maria Lucinda Lima, coordenadora do ProAcre na Seaprof, acompanhou a visita dos representantes do banco. “É muito importante esse acompanhamento, porque o Banco Mundial consegue verificar o quanto esses recursos estão sendo bem aplicados e sua importância para melhorar a qualidade de vida das famílias beneficiadas”, afirmou.

Da Agência de Notícias do Acre.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.