Rio Branco, Acre, 22 de janeiro de 2021

Em pauta-bomba, Câmara aprova criação de 14 mil cargos federais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Trem da alegria Sem fazer alarde, a Câmara aprovou a criação de 14.419 cargos federais — quase quatro vezes os 4.000 postos comissionados que Michel Temer prometeu ceifar neste ano. A autorização passou batida até por deputados. Ela estava no projeto de lei que concedeu aumento a servidores da Suframa, aprovado em meio aos reajustes salariais que trarão impacto de R$ 58 bilhões às contas públicas. Além de passar pelo Senado, será necessário realizar concursos para preencher os postos.

Tudo e todos Dentre os cargos aprovados, a maior parcela é de técnicos administrativos em educação — são 4.732. Há, inclusive, 52 postos no Instituto Brasileiro de Museus e 516 analistas para o Comando do Exército.

Depois de amanhã O governo federal indicou aos sócios da Vale que quer substituir Murilo Ferreira, presidente da companhia, logo após a votação do impeachment.

Lá fora Chamado para uma conversa com Temer no sábado (21), Luiz Carlos Trabuco, presidente do Bradesco, expôs, segundo palacianos, o sentimento do banco e de outros controladores da mineradora: uma troca repercutiria mal em Wall Street.

Minha jazida Sócios defendem que Ferreira conclua o mandato (2017) e lamentam que o PMDB tenha poder de mexer em uma empresa do porte da Vale. Antônio Andrade, vice-governador de Minas Gerais, esteve com Temer esta semana tratando do caso.

Climão Parlamentares definiram uma senha para cessar conversas potencialmente embaraçosas. Quando um colega envereda por um assunto espinhoso, o outro comenta: “É… Pauderney”.

pauderney

Lançou moda A brincadeira faz referência ao comentário lacônico de Renan Calheiros às acusações de Sérgio Machado contra o deputado Pauderney Avelino.

Help O ministro Geddel Vieira Lima nomeou Mariângela Fialek para tocar a agenda legislativa do governo. A chegada da advogada, que trabalhou com Romero Jucá e Eunício Oliveira, foi bem recebida no Congresso.

Ah, tá O senador Romero Jucá (PMDB-RR) jura que não é ministro à paisana. Afirma só tratar de temas econômicos como presidente do PMDB.

Troca de guarda José Antônio Pitombo e Fernanda Tórtima se juntarão à equipe de defesa de Eduardo Cunha no STF. Os dois advogam para Sérgio Machado e seu filho, delatores da Lava Jato.

Eu não A interlocutores Cunha nega qualquer intenção de buscar delação premiada. Mas um aliado observa: “Se em algum momento decidir, o time já estará pronto”. Antônio Fernando de Souza, ex-procurador-geral, será seu parecerista.

Enrolão A revista “Piauí” que chega às bancas nesta sexta conta como Delcídio do Amaral irritou a força-tarefa e arriscou melar sua delação. “Se a gente for no Google, pega mais coisa do que o senhor está dizendo”, reagiu um procurador da Lava Jato.

Lucidez Na noite do impeachment na Câmara, o ex-senador já havia tomado quatro doses de uísque e fumado um charuto quando disse à revista: “Fui ficando cada vez mais poderoso, entendeu? E, porra, uma cochilada com um moleque e eu me fodi!”.

Pra frente Celso Russomanno demonstra preocupação com o desenrolar de seu processo no STF, mas não quer renunciar à eleição municipal de SP. O deputado Marcelo Squassoni acaba de ser escolhido como coordenador de sua campanha.

Protesto sem fim A Associação de Moradores de Alto de Pinheiros, onde mora Michel Temer, pediu à subprefeitura, à PM e à CET que modifiquem o trânsito na região. Por causa dos protestos contra o presidente interino, as ruas vivem fechadas.

Marcação A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia de SP questionará formalmente o governo Alckmin sobre avanços na apuração de casos de abuso policial. Carlos Bezerra Jr. (PSDB) liderará comitiva de deputados à Secretaria de Segurança.


TIROTEIO

Nas pesquisas, estou entre Marcelo Crivella e Flávio Bolsonaro. Costumo dizer que estou entre a cruz e a espada.

DE MARCELO FREIXO (PSOL), deputado estadual e pré-candidato à Prefeitura do Rio, sobre os rivais do PRB e do PSC no pleito municipal.


CONTRAPONTO

Desbravando o Planalto

O ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures, assessor do gabinete pessoal do presidente interino Michel Temer, chamou o deputado Beto Mansur (PRB-SP) para uma conversa no Palácio do Planalto.
Na hora de dar as coordenadas ao parlamentar, disse:
— Fico na sala que era do Giles — referindo-se ao assessor especial da presidente afastada Dilma Rousseff.
Beto Mansur, que compunha a base da petista na Câmara até às vésperas do impeachment e é primeiro-secretário da Casa, respondeu:
— Saber isso não adianta nada pra mim… Giles nunca me chamou para audiência!

 

Por Painel, da Folha de São Paulo.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.