31.2 C
Juruá
quinta-feira, agosto 11, 2022

Sem estoque de vacinas e com surto de gripe, Acre pede antecipação de campanha contra Influenza ao Ministério da Saúde

Por

Sem estoque de vacina e em surto de síndrome gripal, o Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre informou que fez o pedido ao Ministério da Saúde para a antecipação da Campanha contra a Influenza de 2022. A informação foi confirmada ao g1 pela gerente do núcleo do PNI no estado, Renata Quiles.

Normalmente, a campanha é realizada a partir do mês de abril, como foi no ano passado, mas o pedido do estado acreano é que inicie, ao menos, em março.

Além disso, o estado solicitou ainda o envio de mais 50 mil doses da vacina contra a gripe para garantir imunização da população. No entanto, segundo Renata, foi informado que o estoque nacional também está esgotado.

“Nós solicitamos no dia 13 de dezembro o envio de, pelo menos, mais 50 mil doses, onde recebemos a primeira negativa de que que não tinha mais nenhuma dose disponível no Ministério da Saúde. Dia 23 de dezembro nós fizemos a segunda solicitação, pedindo as 50 mil doses novamente e se existia a possibilidade de antecipar a campanha de 2022. A resposta que tivemos do Ministério da Saúde foi que a produção de vacinas da Influenza inicia somente no mês de fevereiro e que era de interesse do próprio ministério antecipar não só no Acre, mas como em todo o Brasil essa campanha”, disse Renata.

Ainda segundo a gerente, o Ministério informou que estuda a possibilidade de antecipar a campanha para o mês de março, mas que ela seria para grupos prioritários e não aberta ao público geral. A composição da vacina, conforme Renata, já é contra a nova variante de Influenza, a H3N2.

A secretária de Saúde do município de Rio Branco, Sheila Andrade, também informou que a capital solicitou antecipação da campanha para tentar reduzir o número de casos de gripe.

Mortes por gripe

Um levantamento feito pela Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) a pedido do g1 mostra que o estado registrou 18 mortes por influenza nos últimos três anos. Os dados apontam os números de 2019 a 2021, sendo que o primeiro foi que teve maior registro, com 12 óbitos ao todo, seguido de 2020 com quatro e 2021 teve apenas 2.

Na série histórica da Sesacre não é especificado qual tipo de influenza foi a causa das mortes. A cidade com maior registro foi Cruzeiro do Sul, com 12 óbitos nesse período.

Também foi em Cruzeiro do Sul o primeiro registro de morte confirmada neste ano. Uma mulher de 28 anos morreu no dia 28 de dezembro no Hospital do Juruá. A informação foi confirmada pela Sesacre e também pela Secretaria Municipal da cidade, no dia 4 de janeiro.

Os municípios de Feijó, Mâncio Lima, Tarauacá e Xapuri também tiveram registros de mortes.

Mortes por gripe no Acre os últimos anos

Anos Mortes por gripe
2019 12
2020 4
2021 2
Total 18

Campanha

 

A campanha de vacinação contra a Influenza começou no Acre ainda em abril deste ano, inicialmente para o público-alvo, que era de 309.670 pessoas. Em julho, com uma cobertura vacinal abaixo de 20%, o governo do Acre decidiu ampliar a vacinação para toda a população acima de seis meses de idade.

Ao todo, o estado recebeu um total de 315 mil doses da vacina no ano passado e, segundo informou o PNI, durante oito meses, todo o lote foi usado.

Agora, o estado aguarda o envio de novas doses quando o Ministério da Saúde abrir novamente a campanha de imunização contra a Influenza.

Na última quarta-feira (5), a coordenadora do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins, confirmou que as doses de vacina que ainda restavam nas unidades também acabaram.

Com informações G1 Acre

error: Alert: O conteúdo está protegido !!