Rio Branco, Acre, 15 de janeiro de 2021

EX-SECRETÁRIO DE ANASTASIA FICARÁ PRESO POR TEMPO INDETERMINADO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O ex-secretário de Ciência e Tecnologia do governo Antonio Anastasia e ex-presidente do PSDB de Minas, Nárcio Rodrigues, ficará preso por tempo indeterminado por decisão do juiz Luiz Gustavo Moreira, da Vara Criminal de Frutal; o magistrado converteu em preventiva a prisão do político e de outras seis pessoas que respondem por desvio de dinheiro público que somam R$ 18 milhões Nárcio cumpre prisão temporária desde 30 de maio; a medida tem como objetivo evitar que o réu interfira nas investigações.

O ex-secretário de Ciência e Tecnologia do governo Antonio Anastasia e ex-presidente do PSDB de Minas, Nárcio Rodrigues, ficará preso por tempo indeterminado por decisão do juiz Luiz Gustavo Moreira, da Vara Criminal de Frutal. O magistrado converteu em preventiva a prisão do político e de outras seis pessoas que respondem por desvio de dinheiro público em obras da Fundação Hidroex. Nárcio cumpre prisão temporária desde 30 de maio. A medida tem como objetivo evitar que o réu interfira nas investigações.

O grupo, investigado pela Operação Aequalis, é suspeito de participar de um esquema que desviou R$ 18 milhões dos cofres estaduais em obras da Fundação Hidroex.

Ex-secretário era homem de confiança do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e um dos políticos mais poderosos do Estado nos 12 anos de gestões tucanas em Minas Gerais. Anastasia é o relator do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.

As suspeitas são que R$ 14 milhões teriam sido desviados da obra com superfaturamento de contratos e a não entrega de equipamentos. Segundo a Controladoria Geral do Estado (CGE-MG), “constatou­-se a ocorrência de dano ao erário no valor de R$ 4.998.136,00 em virtude de pagamento por equipamentos não entregues. A aquisição foi realizada pela Fundação de Apoio à Universidade Federal de São João Del Rei (FAUF), em procedimento não competitivo, não observando os parâmetros da Lei nº 8.666/93. As evidências apuradas não permitiram identificar a necessidade de aquisição dos equipamentos, nem como contribuiriam para as pesquisas a serem desenvolvidas”.

Em outro relatório, a CGE disse que “não obstante a realização de procedimento licitatório, detectou­-se, dentre outras constatações, dano ao erário no valor de R$ 851.000,00 em virtude de sobrepreço na aquisição de equipamento de áudio e vídeo­conferência”.

Em nota divulgada na segunda-­feira (30), o PSDB mineiro afirmou que não tinha detalhes da operação e que, havendo indícios de irregularidades, que fossem investigadas. Aécio não se pronunciou sobre as a prisão de Rodrigues.

O senador Anastasia afirmou, em nota, que não tinha conhecimento dos fatos que levaram à operação, e que defendia que quaisquer denúncias fossem “devidamente apuradas pelos órgãos competentes e julgadas na forma da lei”. O advogado de Rodrigues, Sânzio Nogueira, disse que não pode falar sobre o assunto porque o processo contra o cliente correr em segredo de justiça.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.