Rio Branco, Acre, 27 de outubro de 2020

JANOT: POLÍTICOS DO PMDB ACERTAVAM VERSÕES CONTRA A LAVA JATO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

No pedido de prisão de integrantes da cúpula do PMDB, a Procuradoria-Geral da República aponta que eles combinavam versões de defesa e estratégias para impedir que o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado colaborasse com as apurações da Lava Jato; segundo Machado, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) teriam recebido R$ 70 milhões da subsidiária da Petrobras; haveria ainda indícios de que seriam produzidos documentos para tentar maquiar os desvios na gestão do novo delator; também foram entregues documentos que comprovariam movimentações financeiras

No pedido de prisão de integrantes da cúpula do PMDB, a Procuradoria-Geral da República aponta que eles combinavam versões de defesa e estratégias para impedir que o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado colaborasse com as apurações da Lava Jato.

Rodrigo Janot acuasa o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e o senador Romero Jucá (PMDB-RR) de tentativa de frear a operação.

Segundo reportagem de Aguirre Talento, há indícios de que seriam produzidos documentos para tentar maquiar os desvios na gestão de Machado.

De acordo com o ex-presidente da Transpetro, os três teriam recebido R$ 70 milhões da subsidiária da Petrobras.

Também foram entregues documentos que comprovariam movimentações financeiras. Nem todos os áudios em poder da PGR foram divulgados.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.