Rio Branco, Acre, 28 de outubro de 2020

Exame toxicológico volta a ser exigido para motoristas profissionais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A realização de exame toxicológico para emissão da primeira via e renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) das categorias C, D e E voltou a ser exigida.

Em abril, o Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran/AC)  havia conseguido uma liminar que barrou a obrigatoriedade, mas a decisão foi anulada pela Justiça Federal após pedido da União e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

Na época, a liminar que suspendia a exigência no estado foi concedida pelo juiz federal substituto Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª vara da Seção Judiciária do Distrito Federal (SJDF). O juiz afirmava na ação que “a demora ou impossibilidade de executar os exames suscita graves restrições ao direito ao livre exercício de profissão, já que muitos condutores das categorias C, D e E tiram seu sustento da condução de veículos”.

De acordo com o diretor-geral do Detran, Pedro Longo, o sistema federal de habilitação já está impedindo a emissão do documento se não constar a aprovação no exame toxicológico.

“A Procuradoria Jurídica do Detran vai pedir nova suspensão da exigência, já que essa regra poderá implicar custos excessivos para o cidadão e prazo maior para obter a CNH”, afirmou Longo.

O exame toxicológico é realizado com fios de cabelos para detectar drogas e metabólitos que foram absorvidos e permanecem fixos no cabelo meses após o consumo.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.