Rio Branco, Acre, 28 de novembro de 2020

FGV: retomada da economia do Brasil deve demorar anos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A crise que assolou o país no começo do ano já dá sinais de estar fazendo parte do passado, mas indicadores apontam que o ritmo será retomado lentamente e o Brasil só deve retomar o crescimento em 2017, aponta o jornal Folha de S. Paulo . O governo já fala em crescimento acima de 1,5% no ano que vem; bancos como Bradesco e Itaú fazem projeções positivas, entre 1% e 1,5%. Já a Fundação Getúlio Vargas (FGV) afirma que a expansão vai acontecer de forma mais fraca do que nas últimas crises.

“Esta recessão está fora do padrão das últimas quatro”, diz prevê o economista Paulo Pichetti, da FGV. “A natureza da recuperação, quando ela vier, será de menor intensidade, mais fraca”, reflete.

Ainda de acordo com o economista, o presidente interino Michel Temer não vai ajustar as contas de forma expansionista. Com isso, o crescimento não será estimulado nem acelerado nos anos que se seguirão à crise. Outros economistas acreditam que é “muito improvável” que o Brasil cresça acima de 1,5%, como José Márcio Camargo, sócio da gestora de investimentos Opus, que estima um crescimento será de 0,5%.

“Os economistas dizem que o Brasil sempre se recupera rápido. Depende da recessão”, diz Camargo. “As empresas e as famílias estão endividadas, os bancos continuam restringindo crédito, é pouco provável que cresça mais do que 1%, é um sonho.”

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.