Rio Branco, Acre, 3 de dezembro de 2020

Temer defende ‘um certo sacrifício’ para tirar país da crise

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O presidente Michel Temer, disse, nesta quinta-feira (13), em entrevista à jornalista Miriam Leitão, do canal GloboNews, que o país terá de passar por “um certo sacrifício” com a contenção de gastos para sair da crise. Ele ressaltou, no entanto, que o objetivo do governo é prestigiar a saúde, a educação e o investimento.

“Se não houver um certo sacrifício, nós não tiramos o País da crise. Então, o teto dos gastos veio exatamente para isso”, disse o presidente, ao comentar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que foi aprovada nesta semana, em primeiro turno, pela Câmara dos Deputados. Temer atribuiu a aprovação da PEC por 366 votos à capacidade de diálogo do governo federal com os parlamentares.

Na entrevista, Temer voltou a explicar que o teto de despesas é global. E ressaltou que as áreas de saúde e educação são prioritárias para o governo. “O nosso horizonte é prestigiar a saúde e a educação, é prestigiar o investimento”, disse.

Segundo o presidente, para se investir mais em saúde e educação, o governo deverá cortar em outras áreas. “Um dos cortes que nós temos feito, ainda hoje, a imprensa registra um número infindável de contratações no Banco do Brasil. O Banco do Brasil está pensando em cortar uma porção de funções, de cargos que lá existem, que são absolutamente desnecessários”, disse

“Se eu quisesse uma palavra-chave para o governo, eu diria: a palavra é diálogo. Isto significa que no momento de crise profunda que o País está atravessando, conversar com todos os setores e com todas as pessoas é importantíssimo”, completou.

 

As informações são do Portal Planalto.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.