Reforma da reforma chega na Aleac e criará 450 novos cargos

Após o governador em exercício, Major Rocha, e o chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade, entregarem a nova reforma administrativa na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), nesta quarta-feira, 15, os parlamentares iniciaram os trâmites para ter a votação na próxima semana.

Mesmo que o governador Gladson Cameli tenha falado que não iria haver aumento no número de cargos, e sim uma readqueação entre o quadro de comissionados, o fato é que serão criados 450 novos postos de função política no Estado. Além disso, as assessorias especiais foram extintas, mas 10 cargos de secretários-adjunto serão criados, com o mesmo valor de salário que as assessorias especiais.

A votação da reforma deve ocorrer na próxima terça-feira (Foto: Sérgio Vale)

Ao todo, o governo terá 1350 cargos comissionados, e este é um dos questionamentos já feitos pelo deputado Roberto Duarte (MDB), que já havia afirmado que não aprovaria esse aumento. O deputado Luiz Tchê, líder da base de governo na Casa, afirmou que o governo quer a votação ocorra já na próxima semana. “O governo tem pressa, porque tem muitos dizendo que a máquina não está andando”, declarou.

Outras mudanças propostas são: a Polícia Civil deixa de ser secretária e se torna um departamento ligado à Secretaria de Segurança Pública; o Instituto de Mudanças Climáticas, que havia sido extinto, mesmo com projetos a executar, volta a existir mas com o nome de Instituto de Análise Climática; as pastas de Planejamento e Gestão Administrativa se juntam e formam a Splag; será criada ainda a Secretaria de Estado da Mulher, de Assistência Social e de Direitos Humanos (Semasdh); além de outras mudanças.

Pastas importantes para a gestão pública continuam extintas, como a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Acre e a Escola do Servidor Público do Acre.

Mais sobre política em O Parlamento