Rio Branco, Acre, 27 de outubro de 2020

Saúde implanta área técnica para notificação da síndrome congênita do vírus zika

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Núcleo de Doenças de Controle Vetorial, está em processo de implantação da área técnica da síndrome congênita do vírus zika. A Maternidade Bárbara Heliodora é a unidade-piloto para capacitações e início do controle de casos e notificações da síndrome.

Nesta semana, as áreas de Vigilância Ambiental, Saúde da Pessoa com Deficiência e Diretoria de Assistência da Maternidade se reuniram com o objetivo de alinhar um fluxo para a investigação clínica, radiológica e laboratorial da síndrome congênita do vírus zika, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

Os profissionais que atuam na vigilância hospitalar da maternidade estão passando por uma capacitação que se iniciou na semana passada e se estende até a próxima semana, referente à correta notificação de novos casos de anomalias sugestivas à infecção congênita, ocorridas em nível neurológico, como malformação do crânio e músculo esquelético, podendo comprometer audição e visão.

“Além disso, também estão sendo articuladas ações entre as vigilâncias e a atenção básica do município de Rio Branco para a identificação e notificação de casos suspeitos, cujas manifestações clínicas se apresentaram tardiamente”, explicou a responsável pela área técnica, Rener Luciana Maia.

Rener explica ainda que estão sendo avaliados e notificados casos de 2016 até 2020. Até o momento, foram registrados 57 quadros que aguardam confirmação: “A área técnica vai fazer a identificação dos casos que apresentem compatibilidade com a síndrome e também buscar outros agentes etiológicos, que são os causadores de doenças”, pontuou.

Ainda, segunda Rener, “os casos de anomalia já eram notificados nas declarações de nascidos vivos, pelos pediatras e geneticistas, mas somente agora serão notificados pela vigilância”, explicou.

Importância

A identificação etiológica é importante também, pois ajuda na qualificação da declaração de óbitos. Os dados de mortalidade e identificação são importantes indicadores para nortear as ações de promoção e prevenção, contribuindo para a redução da incidência de casos.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.