Rio Branco, Acre, 25 de novembro de 2020

Donos de restaurantes ‘batem o pé’ sobre retrocesso de faixa: “uma conta que não é nossa”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Com informações Ac24horas
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O representante da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) no Acre concedeu entrevista nesta quarta-feira, 18, informando que a classe busca entender junto ao governo do Acre a real situação em que se encontra o estado e como o setor empresarial pode se programar para enfrentar o possível novo pico de contaminação da Covid-19 e uma provável mudança de faixa da Bandeira Amarela para a Laranja.

Uma reunião na tarde desta quarta-feira deve alinhar o que deve ser adotado ou reforçado partir de então pelos empresários. Uma preocupação da categoria é de que o comércio seja penalizado injustamente por uma segunda onda do coronavírus. “O protocolo que os restaurantes têm hoje passa segurança aos clientes. Os números estavam estabilizados e diminuindo até a segundo quinzena de agosto”, explicou Lucas Profeta em entrevista à Rede Amazônica.

Segundo Profeta, todos sabem o motivo do segundo pico da Covid-19 no Acre. Recentemente, inúmeras críticas foram compartilhadas nas redes sociais referindo-se às campanhas políticas como causadoras de transmissão do vírus em massa.

“Infelizmente os números estão altos. Sabendo que os nossos protocolos são seguros, precisamos reforçar para a população a importância do protocolo [de segurança] para que a gente não enfraqueça com relação ao combate do vírus”, afirma.

A Abrasel é de acordo que, estabelecimentos que provocarem excessos ou abusos, devem ser punidos, mas não o setor inteiro. “O protocolo é seguro e se comprovou por quase 3 meses. Hoje estamos com uma capacidade de 50% e se voltar pra faixa laranja, que possamos reduzir e não seja fechado 100%. O comitê acredita que possa voltar para a faixa laranja e podemos pagar uma conta que não é nossa”, destacou Profeta.

O Comitê deixou claro, que a princípio, não existe a intenção de recomendar o fechamento do comércio novamente. Porém, ficou entendido que precisamos fortalecer algumas medidas tais como: conscientização da população com as medidas preventivas, para os próximos 15, 20 dias.

Leia também

Receba nossas novidades

Av. Rodrigues Alves 60 – Centro – Cruzeiro do Sul AC.