Diretor do Hospital do Guajará Desmente Acusações

Venho por meio deste veículo de comunicação, esclarecer alguns fatos inverídicos direcionados a minha pessoa bem como a direção da unidade hospitalar sob minha responsabilidade. Fato este que me pegou de surpresa, pois tem o intuito único de manchar minha imagem perante a sociedade bem como o Governo do Estado do Amazonas.

O país hoje, passa por uma crise financeira imensa e aqui na nossa região não é diferente. Estou na direção do hospital de Guajará a longos 9 anos e diante disto passei por vários períodos ruins e outros bons no que tange a administração pública. E nestes longos anos, sou testemunha de que nunca houve, tantos investimentos na área da saúde quanto no Governo atual do Prof. José Melo, tanto na área tecnológica quanto estrutural. O que vem acontecendo com o hospital de Guajará, não é culpa de A ou B, e sim de fatores do dia a dia, como a questão dos médicos de nosso hospital, onde aconteceu aposentadoria, afastamento para estudo, afastamento por ordem judicial e afastamento por tratamento de saúde. A logística de acesso a nosso município em relação a capital do Estado também é outro fato agravante, pois é moroso o acesso.
Fui vítima de ataques caluniosos e irresponsáveis que sei que parte de pessoas frustradas por conta de política, em que os mesmos não conseguiram alcançar seus objetivos. Sirvo-me deste conceituado jornal para esclarecer a população deste amado município ao qual dediquei todos esses anos de esforço, trabalho e cumplicidade, pois foi onde resolvi constituir família e laços de amizades. Me admira, que certas pessoas nem residem e outros que chegaram agora a pouco, tratarem e usarem a sensibilidade e fragilidade das pessoas de bem que ali moram, para de forma Caluniosa atingir um cidadão que ali reside e de tudo faz para que as pessoas vivam bem, e tenham o melhor acesso possível a um atendimento de saúde. Ora amigos, como um gestor passa 9 anos a frente de uma Unidade com um recurso pequeno para manutenção consegue sobreviver no mercado sem que haja desistência dos fornecedores, sendo eles os mesmos desde que comecei a trabalhar aqui, se o mesmo fizesse mau uso do recurso? Como que suas prestações de contas seriam por todos estes anos aprovada pelos órgãos gestores? Como receberia o reconhecimento de melhor gestor de unidades hospitalares do interior do estado do Amazonas, se não tivesse uma conduta descente?; É muito fácil apontar o dedo e dizer, você é isso ou aquilo, precisa-se de provas para que de fato possa acusar alguém.
Fui acometido ao constrangimento, por uma notícia veiculada aqui neste jornal, de que eu tinha desviado um recurso no valor de R$46.000,00 (quarenta e seis mil reais). Para este esclarecimento, trago em anexo uma planilha do acompanhamento financeiro das unidades do interior referente ao ano de 2017, ao qual faço juntada para que a população possa ver o quão caluniosa foi esta notícia, onde é citado que recebi um recurso em 24 de fevereiro e este recurso desapareceu, acusando-me assim de LADRÃO.

Aí está a planilha informando que no dia 21/02/2017 foi feito o pedido do recurso referente aos meses de outubro e novembro de 2016 no valor de R$ 23.000,00 (vinte e três mil reais ) cada recurso, que é o valor mensal que é repassado a esta unidade que por enquanto sou gestor, totalizando R$ 46.000,00 (quarenta e seis mil reais). Vê –se na planilha, que o recurso foi solicitado no dia 21/02/2017, gerou o número de pedido, a portaria ao qual é publicada no diário oficial do Amazonas no dia 24/02/2017, gerando uma ordem bancária dia 08/03/2017 e sendo depositado na conta no dia 10/03/2017, e que encontra-se agora em aplicação o recurso. Portanto fica aqui comprovado através do tramite natural do recurso, que não houve repasse na data mencionada e nem desvio de recurso por parte deste gestor, e, fica aqui registrado, o convite a qualquer cidadão que queira acompanhar a aplicação deste recurso bem como a prestação de contas, para que não haja futuramente acusações levianas como esta em que já estou tomando providências judiciais para tal fim.

Uma outra acusação, que me fizeram de forma também irresponsável, foi que eu, diretor desta Unidade, estaria sucateando o aparelho de raio X deste hospital e que o conserto do mesmo custaria R$ 700,00 (setecentos reais). Este aparelho apresentou defeito no ano de 2016 e solicitei a vinda de um técnico para que pudesse realizar o reparo no mesmo, o que foi prontamente atendido, ao chegar, o mesmo detectou o problema sendo nas placas de circuitos integrados, o qual deveria ser levado para capital, e tentar fazer os reparos necessários ou a substituição das peças, sendo assim feito. Já recebi o contato do mesmo, informando que está vindo a esta Unidade neste dia 23/03 para realizar a substituição das peças para que o mesmo possa funcionar e atender a população.


Segue anexo, laudo do técnico, bem como documento do Diretor Técnico do Hospital Regional do Juruá, informando que nunca houve tal procedimento. Portanto senhores leitores, prova-se assim que esta é mais uma mentira irresponsável por parte do denunciante, onde o mesmo afirma que realizei procedimentos obscuros afim de esconder da Secretaria de Estado o problema.

Ainda na edição de absurdas mentiras, foi citado o caso de uma senhora, cidadã deste município, ao qual era dona de muito apreço por todos, onde o denunciante afirma que a mesma teria vindo a óbito dentro de nossa ambulância a caminho do Hospital do Juruá, unidade esta que referenciamos nossos pacientes.

Revolta-me a forma com que o denunciante, usa da dor das pessoas e da falta de respeito em memória a dona Sebastiana, e da dor de familiares e amigos, usando do fato para inventar tal situação com intuito de atingir e denegrir minha imagem bem como a deste hospital, afirmando que não havia Oxigênio medicinal no reservatório destinado para tal fim dentro da ambulância que fazia a remoção da paciente. Segue abaixo, informe do diretor técnico do hospital do Juruá, informando que a mesma foi a óbito nas dependências daquela unidade bem como relato do enfermeiro que realizou encaminhamento informando o contrário do que foi dito.

Portanto senhores, comprova-se a falta de verdade nos fatos citados na denuncia.
Por fim, venho informar que, Graças ao nosso poderoso Deus, nunca tivemos óbito dentro deste hospital, por falta de assistência, e agradecemos aqui a parceria e sensibilidade do Hospital do Juruá em nos dar apoio sempre que necessário. Afirmamos também que, entendemos, a frustração de pessoas más, que tem o único intuito de ver este diretor fora da Unidade, usando de inverdades para prejudicar minha imagem perante a população, bem como a meus superiores, a fim de que os mesmos chegarem a me demitir e fazer com que eu fique mau visto perante a situação. Em momento algum, acusei o Governador do Estado, e nem joguei a culpa no mesmo, ao contrário, informei e pedi ajuda aos representantes do povo para que juntos pudéssemos, sanar alguns problemas que assolam nossa Unidade. Sabemos que há morosidade no processo de repasse de recursos por motivos burocráticos e que em relação a falta de médicos no Hospital, não é culpa minha, nem do Governo, pois trata-se dos problemas citado nas primeiras linhas desta carta. Informamos também que a Secretaria de Estado de Saúde, bem como o Governo do Estado do Amazonas, estão empenhados em resolver a situação desde que foram informados por esta Direção, a resolução desta falta de Médicos em nosso hospital.