Médico e empresário são acionados na Justiça e podem pagar R$ 500 mil a família de jovem morta no rio Acre

A Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC) protocolou uma ação na justiça pedindo danos morais em favor de Rozenilda Monteiro, mãe da jovem Mailkini Borges que morreu depois de uma colisão de jetski, ocorrido em janeiro deste ano, no Rio Acre, em Rio Branco.

A ação foi movida contra os envolvidos no acidente, o médico Eduardo Velloso e o empresário Otávio Costa. Se condenados, os dois terão que pagar o valor de R$ 500 mil reais por danos morais e a fixação mensal de R$ 1.500 reais de pensão alimentícia.

O pedido é argumentado mediante os transtornos e constrangimentos sofridos pela mãe da vítima, além de passar por necessidades financeiras em decorrência do falecimento da filha, única provedora do lar.

O acidente que vitimou Mailkini Borges aconteceu no dia 12 de janeiro, durante um passeio de jetski no Rio Acre. A jovem estava na garupa da moto aquática que era pilotada pelo empresário Otávio Costa. Em outro jetski, estava o médico Eduardo Velloso e a irmã da vítima.

Devido à manobras perigosas, houve uma colisão entre os veículos, Mailkini teve uma das pernas arrancada com o impacto da batida. A vítima ainda chegou a ser socorrida, mas morreu logo depois de ser atendida no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco.

Após investigações da Polícia Civil, o médico Eduardo Velloso foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Com informações de Agazeta.net