Para Eduardo Bolsonaro, legalização das drogas beneficia PT

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) declarou, neste domingo (03/11/2019), que existe uma articulação pela liberação das drogas e que esse movimento é, verdadeiramente, um risco à democracia. Recentemente, o deputado pregou um “novo AI-5” caso os opositores ao governo do seu pai “radicalizem”. A medida foi implementada durante a ditadura militar e marcou um recrudescimento do regime.

Segundo ele, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), o Foro de São Paulo e partidos de esquerda como o PT lucrariam com a liberalização e, por isso, existe uma estratégia para desacreditar instituições como a igreja e enfraquecer as famílias.

“Antes que falem que eu estou maluco, digitem aí no YouTube: ‘Olavo de Carvalho Foro de São Paulo’, para vocês verem como tudo se encaixa: destruição da família, demonização da igreja, controle da internet, e depois nós que somos o perigo da democracia”, disse, citando o seu professor online de filosofia.

“Nós aqui que não tocamos fogo em prédio, que somos incapazes de quebrar uma janela. Nós somos o perigo pra democracia? A gente não pode deixar eles ganharem essa narrativa”, declarou ele.

Eduardo participa, na manhã deste domingo, da “Marcha da Família contra as Drogas”, que pede que o Supremo Tribunal Federal (STF) não descriminalize o uso de drogas. A Suprema Corte avalia a constitucionalidade do Artigo 28 da Lei das Drogas (11.343/2006), que trata de penas para quem “adquirir, guardar, tiver em depósito, transportar ou trouxer consigo” drogas ilegais para consumo pessoal.

  • Por Metrópoles.